G1 Mundo

Juiz conservador da Suprema Corte dos EUA fez viagens de luxo como convidado de empresário por décadas

today6 de abril de 2023 10

Fundo
share close

O juiz Clarence Thomas é um dos mais conservadores da Suprema Corte dos Estados Unidos. Nesta quinta-feira (6) descobriu-se que há décadas ele aceita viagens de luxo de um empresário da cidade de Dallas sem divulgá-las publicamente, apesar de haver uma lei federal que exige a divulgação da maioria dos presentes. Os senadores do Partido Democrata pediram uma investigação.

Em uma reportagem da Agência ProPublica, foi revelado que Thomas passou férias repetidas vezes com o magnata do setor imobiliário e doador republicano Harlan Crow, inclusive em seu jato particular e superiate, nos Estados Unidos e em todo o mundo. A agência de notícias disse que a frequência dos presentes “não tem precedente conhecido na história moderna da Suprema Corte dos EUA”.

Thomas e o presidente do tribunal, John Roberts, não responderam imediatamente a um pedido de comentário.



A reportagem levanta novas questões sobre potenciais conflitos de interesse envolvendo os ministros e o tribunal, que tem sofrido críticas crescentes pela ausência de um código de ética formal.

Crow disse à ProPublica em um comunicado que ele e sua esposa são amigos de Thomas e sua esposa desde 1996 e “nunca procuraram influenciar o juiz Thomas em qualquer questão legal ou política”.

O presidente do Comitê Judiciário do Senado, Dick Durbin, disse que seu painel “agirá” com base no relatório, sem especificar quais medidas serão tomadas.

“A mais alta corte do país não deveria ter os padrões éticos mais baixos”, disse Durbin, um democrata.

Durbin disse que os juízes devem ser submetidos a um código de conduta executável como outros juízes federais, que são instruídos a evitar até mesmo a “aparência de impropriedade”.

Roberts disse que os juízes consultam esse código ao avaliar suas próprias obrigações éticas.

O senador democrata Sheldon Whitehouse pediu a Roberts que garantisse a realização de uma investigação robusta.

“Isso clama pelo tipo de investigação independente que a Suprema Corte – e apenas a Suprema Corte, em todo o governo – se recusa a realizar”, disse Whitehouse no Twitter.

A reportagem da ProPublica é a mais recente revelação a levantar preocupações éticas sobre Thomas. Relatos anteriores do envolvimento de sua esposa Virginia “Ginni” Thomas nos esforços para anular os resultados das eleições presidenciais de 2020, juntamente com a decisão de Clarence Thomas de não se recusar a participar de casos relacionados à eleição, levantaram questões sobre sua imparcialidade judicial.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

oms-considera-que-china-dispoe-de-mais-dados-sobre-origem-da-covid

G1 Mundo

OMS considera que China dispõe de mais dados sobre origem da Covid

A China tem de dados científicos suplementares que permitiriam entender melhor as origens da Covid-19, afirmou, nesta quinta-feira (6), a Organização Mundial de Saúde (OMS), em um novo pedido por mais transparência do país asiático sobre esta questão. "Sem um acesso completo às informações de que a China dispõe, todas as hipóteses sobre a origem do coronavírus seguem sobre a mesa. É a posição da OMS e, por esse motivo, […]

today6 de abril de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%