G1 Mundo

Justiça do Uruguai impõe restrições a professor que disse que ‘negros brasileiros de origem africana’ são preguiçosos, diz jornal

today26 de abril de 2024 5

Fundo
share close

A Justiça do Uruguai impôs restrições a um professor por falas racistas, xenofóbicas e discriminatórias contra negros brasileiros em sala de aula. A decisão foi divulgada na quarta-feira (24), segundo a imprensa local.

A denúncia foi feita por alunos do terceiro ano do Polo Educacional Tecnológico da cidade de Rivera. De acordo com o jornal “El Observador”, o professor disse:

“Na minha família não contratamos negros porque não são trabalhadores, muito menos os negros brasileiros de origem africana, esses são ainda mais preguiçosos. Os brasileiros que são ‘mistura’ com estrangeiros, esses, sim, são trabalhadores. O trabalhador rural deve ser explorado como o pobre, se ele não gostar, é preciso deixá-los morrer de fome”.



A denúncia foi feita originalmente em maio 2023, de acordo com uma reportagem do portal “Subrayado”. Os alunos apresentaram a denúncia ao Polo Educacional de Rivera e à autoridade de educação do país, segundo o “El Observador”.

O denunciado é Martín Guadalupe, filho do deputado Eduardo Guadalupe, do Partido Nacional —o mesmo do presidente Luis Lacalle Pou.

De acordo com o “El Observador”, a juíza do caso, Ivana Cantera, determinou provisoriamente que Martín Guadalupe mantenha distância de 300 metros dos alunos denunciantes e está proibido de se comunicar com eles por 120 dias. Ele foi acusado do crime de “incitação ao ódio, desprezo ou violência contra certas pessoas”.

Os alunos disseram ter se sentido “humilhados” pelas falas do professor:

“Nós como estudantes nos sentimos humilhados já que somos na maioria negros e pobres, também nossos companheiros brasileiros se sentem discriminados por tais palavras ditas pelo senhor Martín Guadalupe”, diz um trecho. Embora isso não esteja explícito, o texto dá a entender que havia alunos brasileiros na sala de aula.

Segundo uma reportagem publicada pelo jornal “La Diaria”, a defesa do professor argumentou que o conteúdo mais importante da fala em aula não era sobre cor da pele.

O deputado Eduardo Guadalupe, pai do acusado, disse que o filho está sendo perseguido.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

veja-o-que-se-sabe-sobre-o-caso-da-mulher-que-sumiu-com-o-filho-apos-ser-filmada-tirando-o-das-maos-da-avo

G1 Santos

Veja o que se sabe sobre o caso da mulher que sumiu com o filho após ser filmada tirando-o das mãos da avó

A criança, de 5 anos, tem a guarda compartilhada entre o pai e a avó paterna, conforme decisão provisória da Justiça. No entanto, foi levada pela mãe na terça-feira (23). Imagens de câmeras de monitoramento mostram o menino sendo arrastado e colocado dentro de um carro (assista acima) Entenda o que se sabe sobre o caso a partir dos seguintes pontos: 1. Mulher leva filho à força Mulher levou filho […]

today26 de abril de 2024

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%