G1 Mundo

Kim Jong-un ordena seu exército a se preparar para possível ‘guerra’

today31 de dezembro de 2023 9

Fundo
share close

Kim fez um discurso ao término de uma reunião de cinco dias do comitê central do Partido dos Trabalhadores da Coreia, um encontro anual que define a direção estratégica do país.

Durante essa reunião, o partido governante anúncios dos seguintes planos:

  • O lançamento de três novos satélites espiões em 2024.
  • A fabricação de drones.
  • O desenvolvimento das capacidades de guerra eletrônica.



Em novembro, o governo da Coreia do Norte colocou um satélite militar espião em órbita e, desde então, afirma que o equipamento lhe proporcionou imagens de posições militares tanto americanas como sul-coreanos.

Neste ano, também realizou um número recorde de testes armamentistas, incluindo o lançamento de seu mais poderoso míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês).

Durante a reunião, Kim acusou os Estados Unidos de apresentarem “vários tipos de ameaça militar” e ordenou que seu Exército monitore de perto a situação de segurança na península e que “responda sempre com uma atitude arrasadora”.

“Uma guerra pode explodir a qualquer momento na península devido aos movimentos temerários dos inimigos para nos invadir”, disse Kim.

Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos intensificaram sua cooperação em matéria de defesa este ano, diante das crescentes ameaças nucleares e de mísseis por parte do governo da Coreia do Norte, e ativaram recentemente um sistema para compartilhar dados em tempo real dos lançamentos de mísseis norte-coreanos.

No início de dezembro, um submarino americano de propulsão nuclear chegou ao porto sul-coreano de Busan, e Washington enviou bombardeiros de longo alcance para executar manobras com Seul e Tóquio.

Para o governo da Coreia do Norte, o envio de armas estratégicas, como os bombardeiros B-52, aos exercícios conjuntos na península coreana são “ações intencionalmente provocadoras dos Estados Unidos para uma guerra nuclear”.

“Devemos responder rápido a uma possível crise nuclear e continuar acelerando os preparativos para pacificar o território inteiro da Coreia do Sul, mobilizando todos os meios físicos e forças, incluindo a nuclear, em caso de emergência”, disse Kim.

Kim Jong Un fez duras críticas à Coreia do Sul e aos EUA na reunião anual do Partido dos Trabalhadores — Foto: Reuters

‘Situação de crise incontrolável’

Na reunião, Kim disse que vai manter a política de seu país em relação à Coreia do Sul: não vai buscar reconciliação nem reunificação. . Ele afirmou que há uma “persistente e incontrolável situação de crise” na península, que, segundo ele, foi desencadeada pelos governos dos EUA e da Coreia do Sul.

As relações entre as Coreias estão em um de seus piores momentos, depois que o Norte lançou um satélite espião que levou Seul a suspender parcialmente um acordo militar de 2018 destinado a reduzir as tensões na península.

“Acho que é um erro que não deveríamos seguir cometendo considerar as pessoas que nos declaram como seu ‘principal inimigo’ como alguém com quem buscar reconciliação e reunificação”, afirmou a KCNA, citando Kim.

O líder norte-coreano ordenou a elaboração de políticas para reorganizar os departamentos que gerenciam os assuntos fronteiriços para “mudar radicalmente de rumo”.

Leif Easley, professor de Relações Internacionais na Ewha University de Seul, afirmou que a ênfase que a Coreia do Norte coloca em suas “significativas capacidades nucleares” busca, na realidade, esconder os escassos êxitos econômicos que o país teve este ano.

“Muito do que publicam os veículos controlados pelo Estado é propaganda”, disse Easley. “A retórica belicosa dos norte-coeranos sugere que suas medidas militares não têm a ver apenas com a dissuasão, mas também com sua política interna e a coerção internacional”, acrescentou.

No ano passado, o Norte se declarou como uma potência nuclear “irreversível” e, posteriormente, incorporou esse status à sua Constituição. O governo da Coreia do Norte afirma que seu programa nuclear é crucial para a sua sobrevivência.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas adotou diversas resoluções instando a Coreia do Norte a deter seus programas balísticos e nucleares desde o seu primeiro teste nuclear em 2006.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

balsas-de-fogos-de-artificio-do-reveillon-sao-recolhidas-das-praias-de-santos;-video

G1 Santos

Balsas de fogos de artifício do Réveillon são recolhidas das praias de Santos; VÍDEO

Um munícipe relatou ao g1 a ausência de balsas na região entre a divisa com São Vicente, no bairro José Menino, até a altura da Rua Quintino Bocaiuva, no Gonzaga. “Normalmente, são colocadas de duas a três balsas da Rua Quintino Bocaiuva até a divisa. Estou achando estranho, porque as balsas estavam aqui e foram retiradas”, observou. Relatos dão conta de que também foram recolhidas as balsas nas praias do […]

today31 de dezembro de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%