G1 Mundo

Lei da União Europeia que regula big techs entra em vigor; entenda

today7 de março de 2024 12

Fundo
share close

Com a vigência da DMA, a União Europeia poderá fazer fiscalização de ao menos 22 serviços. Entre eles, estão Instagram, Facebook, WhatsApp, LinkedIn, YouTube, Maps, Chrome, Safari, Android, iOS, Windows e o marketplace da Amazon.

Se as companhias descumprirem as regras, a Comissão poderá definir multas até 10% do faturamento anual global da infratora. A penalidade pode chegar a 20% do faturamento em caso de reincidência.

🔎 A lei da União Europeia determina que as gigantes da tecnologia devem:



  • informar a UE sobre qualquer aquisição relevante que fizerem;
  • oferecer aos usuários europeus mais opções de navegadores web e de mecanismos de busca;
  • permitir, em breve, que os usuários possam enviar mensagens entre aplicativos, por exemplo, do WhatsApp para o Telegram;
  • comprovar seu ajuste à DMA e apresentar “uma descrição, auditada de forma independente, das técnicas utilizadas para definir perfis de usuários, em conjunto com uma versão não confidencial”;
  • os relatórios serão analisados pela comissão, que decidirá se as medidas são eficazes para alcançar o objetivo de cumprimento da lei.

Usuários na União Europeia terão o direito de escolher facilmente navegador e buscador padrão de seus celulares e computadores. A ideia é permitir que eles não sejam induzidos a escolherem o Safari, navegador da Apple, no iPhone, ou o buscador do Google, no Android.

Além disso, a Apple deverá permitir lojas alternativas à App Store, o que já existe no Android. As pesquisas no Google também deverão respeitar a nova lei, e os serviços da empresa, como o Google Voos, não poderão ser privilegiados sobre seus concorrentes.

Segundo a comissão, com as novas regras, “os consumidores terão mais e melhores serviços à sua escolha, mais oportunidades para mudar de fornecedor, se assim o desejarem, acesso direto aos serviços e preços mais justos”.

No comunicado, o comissário europeu de Mercado Interno, Thierry Breton, afirmou que o dia representa um “ponto de virada para o espaço digital europeu”.

Mas analistas reconhecem que pode não ser realista esperar o cumprimento total e imediato. Para Bram Vranken, pesquisador do Corporate Europe Observatory, “fazer com que as grandes empresas tecnológicas cumpram estas novas regras será uma tarefa enorme”.

Oito anos depois da lei de proteção de dados, “a UE ainda luta para que o Facebook respeite a privacidade de milhões de pessoas na Europa”, observou o especialista.

Os países da UE pressionam a Comissão Europeia a concentrar seus esforços para que sejam cumpridas pelo menos nove leis importantes que abrangem o espaço digital, criadas desde 2019.

Analistas, no entanto, pressionam a UE a ser realista quanto aos recursos de que necessitará.

“Os eurodeputados subestimam o desafio de implementar e fazer cumprir a recente onda de leis digitais”, afirmou Zach Meyers, do núcleo de estudos Centro para a Reforma Europeia, em um informe de fevereiro.

O grande volume de novas leis, argumentou Meyers, “cria o risco de que a Comissão e as autoridades nacionais não tenham recursos para implementá-las adequadamente”.

A vice-presidente da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, destacou que o órgão está reforçando a fiscalização, mas reconhece que é preciso estabelecer prioridades entre os casos.

“Veremos algum cumprimento, cumprimento total por parte de algumas empresas. Mas acredito que haverá casos de não cumprimento”, disse Vestager, acrescentando que o bloco não hesitará em utilizar as medidas mais duras previstas na lei.

A Comissão conta atualmente com 80 pessoas na fiscalização do cumprimento à DMA, segundo um porta-voz da instituição.

Já Meta e TikTok admitiram em 2023 que cada uma tinha mais de 1.000 pessoas trabalhando na implementação da DSA. O Google afirma ter “milhares de engenheiros” trabalhando apenas para cumprir a DMA.

Apple Vision Pro: veja primeiras impressões sobre óculos de realidade virtual

Apple Vision Pro: veja primeiras impressões sobre óculos de realidade virtual

Apple Vision Pro: veja primeiras impressões sobre óculos de realidade virtual

Quase 10 anos depois, vestido que viralizou continua gerando polêmica

Quase 10 anos depois, vestido que viralizou continua gerando polêmica

Quase 10 anos depois, vestido que viralizou continua gerando polêmica

Mark Zuckerberg pede desculpas por danos causados em suas redes sociais

Mark Zuckerberg pede desculpas por danos causados em suas redes sociais

Mark Zuckerberg pede desculpas por danos causados em suas redes sociais




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

em-carta-a-milei,-68-ganhadores-do-premio-nobel-dizem-que-ciencia-na-argentina-‘se-aproxima-do-precipicio’-e-pedem-reversao-de-cortes

G1 Mundo

Em carta a Milei, 68 ganhadores do prêmio Nobel dizem que ciência na Argentina ‘se aproxima do precipício’ e pedem reversão de cortes

Como parte dos pacotes de cortes de gastos anunciados por Milei desde que tomou posse como presidente da Argentina, Milei reduziu drasticamente bolsas de estudos para estudantes e pesquisadores e congelou a maioria dos programas de pesquisa do governo argentino. "Isso causará a destruição de um sistema que levou muitos anos para ser construído e que exigiria muitos mais para ser reconstruído", afirmaram os cientistas na carta. O documento foi […]

today7 de março de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%