G1 Mundo

Líderes políticos internacionais repudiam invasão de terroristas bolsonaristas em Brasília

today9 de janeiro de 2023 16

Fundo
share close

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos

“Condeno o atentado à democracia e à transferência pacífica de poder no Brasil. As instituições democráticas do Brasil têm todo o nosso apoio e a vontade do povo brasileiro não deve ser abalada. Estou ansioso para continuar a trabalhar com Lula.”.

Alberto Fernández, presidente da Argentina

“A democracia é o único sistema político que garante as liberdades e nos obriga a respeitar o veredicto popular.



Aqueles que tentam desrespeitar a vontade da maioria ameaçam a democracia e merecem não só a sanção legal correspondente, mas também a rejeição absoluta da comunidade internacional.

Quero expressar meu repúdio ao que está acontecendo em Brasília. Meu apoio incondicional e do povo argentino a Lula diante dessa tentativa de golpe que vocês estão enfrentando.”

“Demonstremos com firmeza e unidade nossa total adesão ao governo eleito democraticamente pelos brasileiros encabeçado pelo presidente Lula.

Estamos juntos com o povo brasileiro para defender a democracia e não permitir nunca mais a volta dos fantasmas golpistas promovidos pela direita.”

Emmanuel Macron, presidente da França

“A vontade do povo brasileiro e das instituições democráticas deve ser respeitada! O presidente Lula pode contar com o apoio inabalável da França.”

Giorgia Meloni, primeira-ministra da Itália

“O que está acontecendo no Brasil não pode nos deixar indiferentes. As imagens da irrupção nos gabinetes institucionais são inaceitáveis e incompatíveis com qualquer forma de dissidência democrática. É urgente um retorno à normalidade e nos solidarizamos com as instituições brasileiras.”

António Guterres, secretário-geral da ONU

“Condeno o ataque de hoje às instituições democráticas do Brasil. A vontade do povo brasileiro e das instituições do país deve ser respeitada. Estou confiante de que assim será. O Brasil é um grande país democrático.”

Andrés Manuel López Obrador, presidente do México

“Condenável e antidemocrática a tentativa de golpe dos conservadores no Brasil incentivados pelas lideranças do poder oligárquico, seus porta-vozes e fanáticos. Lula não está sozinho, tem o apoio das forças progressistas de seu país, do México, do continente americano e do mundo.”

Gabriel Boric, presidente do Chile

“Ataque inaceitável aos três poderes do Estado brasileiro pelos bolsonaristas. O governo brasileiro tem todo o nosso apoio diante desse covarde e vil ataque à democracia.”

Gustavo Petro, presidente da Colômbia

“Toda minha solidariedade a Lula e ao povo do Brasil. O fascismo decide atacar. As direitas não têm conseguido manter o pacto de não-violência. É hora urgente da reunião da OEA se ela quiser seguir viva como instituição e aplicar a carta democrática.

Propusemos fortalecer o sistema interamericano de direitos humanos aplicando as normas vigentes e ampliando a carta aos direitos da mulher, ambientais e coletivos, mas a resposta são golpes parlamentares ou golpes violentos da extrema direita.”

Mario Abdo Benítez, presidente do Paraguai

“Estamos acompanhando com preocupação os acontecimentos que estão ocorrendo no Brasil. O caminho deve ser sempre o respeito às instituições, à democracia, à liberdade e à não-violência.”

Guillermo Lasso, presidente do Equador

“Codeno as ações de desrespeito e vandalismo perpretradas contra as instituições democráticas de Brasília, pois atentam contra a ordem democrática e a segurança cidadã. Manifesto o meu apoio e o do meu governo ao regime legalmente constituído de Lula.”

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela

“Rejeitamos categoricamente a violência gerada pelos grupos neofascistas de Bolsonaro que têm agredido as instituições democráticas do Brasil. Nosso apoio a Lula e ao povo brasileiro que, com certeza, se mobilizará em defesa da paz e de seu presidente.”

Pedro Sánchez, presidente da Espanha

“Todo meu apoio ao presidente Lula e às instituições eleitas livre e democraticamente pelo povo brasileiro. Condenamos veementemente o assalto ao Congresso do Brasil e pedimos o retorno imediato à normalidade democrática.”

Justin Trudeau, presidente do Canadá

“Respeitar a vontade democrática do povo é fundamental em qualquer democracia – inclusive no Brasil. O Canadá condena veementemente o comportamento violento ali exibido hoje e reafirmamos nosso apoio ao presidente Lula e às instituições democráticas do Brasil.”

Miguel Díaz-Canel, presidente de Cuba

“Condenamos veementemente os atos violentos e antidemocráticos ocorridos no Brasil, com o objetivo de gerar caos e desrespeitar a vontade popular manifestada com a eleição do presidente Lula. Expressamos todo nosso apoio e solidariedade a Lula e a seu governo.”

Xiomara Castro, presidente de Honduras

“Em nome do povo hondurenho, manifesto meu apoio incondicional ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o fascismo já derrotado no Brasil. Convoco os presidentes da América Latina a se deslocarem para o Brasil, se necessário, para defender a democracia.”

Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA

“Condenamos os ataques à Presidência, ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal hoje. Usar a violência é sempre inaceitável. Nós nos juntamos a Lula para pedir o fim imediato dessas ações.”

Santiago Cafiero, ministro de Relações Exteriores da Argentina

“Diante das ações golpistas da direita no Brasil, expressamos nossa solidariedade a Lula e levantamos nossas vozes em defesa da democracia brasileira.”

Marcelo Ebrard, secretário de Relações Exteriores do México

“Diante dos acontecimentos no Brasil, manifestamos o total apoio do México ao governo do presidente Lula, eleito por vontade popular. Rejeitamos qualquer tentativa contra as instituições democráticas que esta nação irmã estabeleceu.”

Luis Almagro, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA)

“Condenamos o ataque às instituições em Brasília, que constitui uma ação condenável e um ataque direto à democracia. Essas asções são indesculpáveis e de natureza fascista.”

Ignacio Ybañez, embaixador da União Europeia no Brasil

“Seguindo com grande preocupação os atos antidemocráticos e as ações violentas na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Todo o nosso apoio às instituições brasileiras.”

Ministério de Relações Exteriores do Equador

“O Equador condena os acontecimentos contra a institucionalidade no Brasil e reitera seu apoio irrestrito à democracia e ao governo legitimamente eleito.”

Embaixada dos EUA no Brasil

“A mídia e a polícia relatam que um protesto antidemocrático se tornou violento e agora está ocupando áreas do centro de Brasília, incluindo o Congresso Nacional Brasileiro e áreas ao redor da Praça dos 3 Poderes.

As forças policiais brasileiras estão respondendo. Cidadãos dos EUA são avisados para evitar a área até novo aviso.”




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

china-reabre-fronteiras-em-despedida-a-politica-de-covid-zero

G1 Mundo

China reabre fronteiras em despedida à política de Covid-zero

Viajantes chegaram à China por ar, terra e mar neste domingo (8), muitos ansiosos por tão esperados encontros, enquanto Pequim abriu fronteiras que estavam praticamente fechadas desde o início da pandemia de Covid-19. Após três anos, a China continental abriu travessias marítimas e terrestres com Hong Kong e acabou com a exigência de quarentena para os viajantes que chegam à região, desmantelando um eixo final da política de Covid-zero que […]

today9 de janeiro de 2023 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%