G1 Mundo

Lula entra na lista das 100 pessoas mais influentes de 2023 da revista ‘Time’

today13 de abril de 2023 11

Fundo
share close

Também estão na seleção os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, da Colômbia, Gustavo Petro, o chanceler alemão, Olaf Scholz, e a esposa do presidente da Ucrânia, Olena Zelenska.

Anualmente, a publicação escolhe personalidades mundiais de diversos setores – político, cultural, do ativismo e da tecnologia – que se destacaram de alguma forma ao longo do ano, seja positiva ou negativamente.

O jornalista norte-americano Evan Gershkovich, correspondente do “The Wall Street Journal” na Rússia e que foi preso este mês pelo serviço de segurança russo acusado de espionagem.



Na justificativa para a escolha de Lula, a revista aponta para a questão da Amazônia. Em um texto assinado pelo ex-vice-presidente dos EUA Al Gore – cada personalidade escolhida na lista da “Time” é descrita em um texto por outra personalidade – aponta que o presidente brasileiro está em sintonia com o “florescimento” da ação climática neste ano e será “fundamental” nesta década decisiva” para o clima.

Gore, que também é ativista ambiental, chamou Lula de “campeão do clima”.

“Lula prometeu fortalecer a posição do Brasil no mundo (…). Mas em nenhuma outra área ele pode causar um impacto mais significativo do que nas crises gêmeas do clima e da biodiversidade”, diz o texto.

“Depois de muitos anos de crescente desmatamento e incêndios florestais, a Amazônia está se transformando de um sumidouro de carbono em uma fonte líquida de emissões. O presidente Lula prometeu proteger a Amazônia, e já o fez antes – reduzindo o desmatamento em 72% em seu mandato anterior”.

O ex-presidente Jair Bolsonaro já foi eleito a personalidade do ano em 2021 pela revista, que o chamou de “líder controverso”. “Recentemente, Bolsonaro esteve na mira da Suprema Corte brasileira que ordenou uma investigação sobre comentários falsos alegando ligação entre a vacina contra a Covid e a Aids”, escreveu a “Time”, à época.

A personalidade do ano da “Time” é, segundo a própria revista, a seleção anual de um indivíduo ou um grupo que teve mais impacto no mundo no ano, para o bem ou para o mal.

Já a lista das cem pessoas mais influentes é uma lista da “Time”, também anual, com pessoas que “estão mudando o mundo”, segundo a revista, em seis áreas: artistas, titãs, líderes, ícones, pioneiros e inovadores.

A “Time” também escolheu nomes como:

  • o rei Charles III, que assumiu a coroa do Reino Unido após a morte de sua mãe, a rainha Elizabeth II, em setembro do ano passado;
  • o escritor Salman Rushdie, o autor de “Versos Satânicos” esfaqueado em um evento em Nova York em agosto de 2022, anos depois de o então líder do Irã emitir um pedido de morte a ele;
  • o ator chileno Pedro Pascal, estrela de séries como “Narco”, “The Mandalorian” e “The Last of Us”, descrito na revista em texto da atriz Sarah Paulson como “poderoso, comovente, hilário, pateta, capaz de ter as conversas mais profundas, disposto a segurar seu cabelo quando você está doente e possuidor dos ombros mais largos para se apoiar”;
  • e o bilionário e dono do Twitter Elon Musk.

Confira a seguir a lista completa de líderes escolhidos como os mais influentes em 2023 pela “Time”:

  • Fumio Kishida, primeiro-ministro do Japão
  • Anthony Albanese, primeiro-ministro da Austrália
  • Bola Tinubu, novo presidente da Nigéria
  • Olena Zelenska
  • Gustavo Petro
  • Hakeem Jeffery, líder dos Democratas no Congresso e primeiro afro-americano a liderar um partido no Legislativo dos EUA
  • Janet Yellen, secretária do Tesouro dos Estados Unidos
  • Sherry Rehman, ministra para as Mudanças Climáticas do Paquistão, onde cerca de um terço do país foi afetado por enchentes no ano passado
  • Mitch McConnell, senador republicano e líder mais longevo no Legislativo dos EUA
  • Margrethe Vestager, comissária da União Europeia para a Transição Digital
  • Samuel Alito, juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos que derrubou a lei que garantia o direito ao aborto em âmbito nacional nos EUA, conhecida como Roe contra Wade.
  • Gina Raimondo, secretária de Comércio dos EUA
  • Olexandra Viatcheslavivna Matviitchuk, advogada ucraniana de direitos humanos
  • María Herrera Magdaleno, ativista mexicana que se dedica a encontrar pessoas desaparecidas no país, como seus quatro filhos
  • Min Aung Hlaing, chefe das Forças Armadas de Mianmar que comandou o golpe militar no país em 2021




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

macron-buscou-na-china-a-popularidade-perdida-na-franca

G1 Mundo

Macron buscou na China a popularidade perdida na França

Atacado pela reforma previdenciária que empreende na França, o presidente Emmanuel Macron buscou na China a popularidade perdida em casa. Ao reforçar que a União Europeia não deveria agir como um vassalo dos EUA num conflito por Taiwan, ele foi incensado em Pequim, onde teve seus dias de glória, rotulado como estadista brilhante pela mídia local. O presidente francês defendeu a autonomia estratégica da UE em relação aos EUA. Suas […]

today13 de abril de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%