G1 Mundo

Maior caçador de nazistas da Alemanha enfrenta corrida contra o tempo

today26 de janeiro de 2023 15

Fundo
share close

O principal caçador de nazistas da Alemanha, Thomas Will, espera conseguir mais condenações pelo Holocausto, mesmo com a morte dos suspeitos remanescentes, muitos deles com mais de 90 anos.

Will disse que entregou cinco casos a promotores locais na Alemanha que ele acredita que ainda têm chance de ir a julgamento.

“O assassinato não está sujeito a um estatuto de limitações. Portanto, enquanto os perpetradores estiverem vivos, prosseguiremos com os casos”, disse ele de seu escritório nos arredores de Stuttgart, no sudoeste da Alemanha.



Will chefia o Escritório Central das Autoridades Judiciais do Estado da Alemanha para a Investigação de Crimes Nacional-Socialistas. Em 2015, ministros da Justiça alemães concordaram que o órgão deveria continuar operando “enquanto houver tarefas de acusação a cumprir”. Will disse que seu trabalho envia o sinal para qualquer um que comete tais atos hoje que eles nunca estarão fora de perigo.

Veja abaixo uma reportagem sobre um documentário com áudios que revelam algumas das atrocidades nazistas.

Documentário traz áudios que revelam atrocidades nazistas

Documentário traz áudios que revelam atrocidades nazistas

À medida que os sobreviventes do Holocausto morrem, teme-se que o conhecimento do genocídio de seis milhões de judeus europeus na Europa ocupada pela Alemanha possa diminuir ou ser negado. Condenações contínuas destacam os crimes que ocorreram.

Uma pesquisa publicada na quarta-feira mostrou que quase um quarto dos holandeses nascidos depois de 1980 acreditam que o Holocausto foi um mito ou que o número de vítimas foi muito exagerado.

Em Israel, sobreviventes do Holocausto estão usando inteligência artificial para registrar suas memórias para as gerações futuras.

Desde que foi fundado em 1958, o Escritório Central lançou 7.694 investigações sobre crimes da Segunda Guerra Mundial, alguns envolvendo vários suspeitos, apoiando muitos dos 18.688 casos que chegaram aos tribunais alemães.

A condenação no mês passado de uma mulher de 97 anos que trabalhava como secretária de um campo de concentração “foi certamente uma das últimas”, disse Will. Mas os cinco casos que referiu “ainda podem dar origem a acusações. Portanto, talvez esta não tenha sido afinal a palavra final”, disse.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

a-desconhecida-‘rede-de-sorrisos’-entre-mulheres-negras

G1 Mundo

A desconhecida ‘rede de sorrisos’ entre mulheres negras

A socióloga Vilma Reis, socióloga baiana especializada em Estudos Étnicos e Africanos, essa é uma prática que remonta a séculos atrás: "A gente aprendeu quando não era possível falar absolutamente nada - na brutalidade do tráfico transatlântico, muitas vezes foi somente com olhar que a gente construiu revoluções". O mesmo vale para os homens negros, que nesse caso se referem a essa troca em inglês como "nod", um aceno ou […]

today26 de janeiro de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%