G1 Mundo

Maior ídolo do futebol da Argentina, Diego Maradona tinha origens croatas

today13 de dezembro de 2022 11

Fundo
share close

Nesta terça-feira (13), a Argentina enfrenta, pelas semifinais da Copa do Mundo do Catar, a Croácia, país que está presente na árvore genealógica do maior ídolo do futebol do país, Diego Maradona: o bisavô do craque nasceu na região em que hoje fica o país europeu.

“Dizem que meus antepassados viveram perto daqui. Vim ver se me deixaram alguma herança”, brincou o próprio Maradona em uma visita à cidade de Novi Vinodolski, norte da Croácia, em 2005, quando visitou o país para participar de um jogo beneficente ao lado de grandes nomes croatas do tênis, como John McEnroe e Goran Ivanisevic, e do futebol, como Davor Suker e Zvonimir Boban.

Para chegar a esses antepassados, é preciso voltar à figura de Matej Karolic, nascido em 1847 na atual Croácia, então pertencente ao Império Austríaco.



Não se sabe ao certo o local exato em que o bisavô de Maradona nasceu. Parte das evidências aponta para a ilha de Korcula, no sul do país, como seu local de nascimento. No entanto, uma investigação recente da revista argentina “Caras” afirma que a certidão de batismo de Karolic aponta sua origem na cidade de Praputnjak, ao norte do território croata.

Aos 25 anos, Karolic emigrou para a Argentina e, quando chegou, teve seu nome alterado no registro para Mateo Cariolich. Instalado em Corrientes, casou-se com Trinidad Ferreyra em 1875 e dessa união nasceram oito filhos. A caçula, Salvadora, foi a avó materna de Diego Maradona.

Uma longa história migratória

O movimento migratório da Croácia para a Argentina está menos documentado do que os oriundos de Itália e Espanha, mas teve uma certa relevância.

Os registros e números são difíceis de estabelecer, já que a Croácia estava integrada a outras entidades como o Império Austro-Húngaro e a Iugoslávia, o que dificulta o rastreamento de dados. Ainda assim, estimativas do governo croata sobre sua diáspora apontam que cerca de 250 mil pessoas com raízes naquela região hoje vivem na Argentina.

O início do fluxo migratório entre os países é anterior à independência dos argentinos da Coroa Espanhola em 1816. Registros mostram a ocorrência de imigrações pontuais, como a do jesuíta Nikola Plantic, que lecionou na Universidade de Córdoba, já em meados do século 18.

Na segunda metade do século 19 e início do século 20, o fluxo migratório se acentuou, assim como no período entreguerras.

Além de Maradona, outros descendentes de croatas se destacam na história da Argentina. Este é o caso de Daniel Orsanic, capitão da equipe que conquistou a única Copa Davis do tênis argentino, em 2016, justamente sobre a Croácia, em Zagreb.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-que-se-sabe-sobre-o-assassinato-a-tiros-de-3-mulheres-em-cafe-de-roma

G1 Mundo

O que se sabe sobre o assassinato a tiros de 3 mulheres em café de Roma

Segundo testemunhas, o grupo realizava uma reunião de condomínio quando Claudio Campiti, de 57 anos, entrou no estabelecimento gritando: "Vou matar todos vocês". Silvio Paganini, de 67 anos, estava no local e, embora ferido, conseguiu desarmar o atirador e chamar a polícia. "Um gesto heroico que salvou a vida de muitas outras pessoas. Agradeci a Silvio por sua coragem e abnegação", escreveu Roberto Gualtieri, prefeito de Roma, no Twitter. Claudio […]

today13 de dezembro de 2022 13

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%