G1 Mundo

Mauro Vieira diz que não concorda com crítica dos EUA sobre Brasil ‘papaguear’ propaganda russa e chinesa

today17 de abril de 2023 12

Fundo
share close

O ministro dos Negócio Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov, se reuniu na tarde desta segunda-feira (17) com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, levou um convite do presidente russo, Vladimir Putin, para Lula participar de um fórum econômico em São Petersburgo. .

“O presidente recebeu o ministro Lavrov para uma visita de cortesia. O ministro Lavrov foi portador de uma carta de Putin para Lula para ir à Rússia para o fórum econômico de São Petersburgo”, afirmou Vieira para jornalistas na saída do Palácio da Alvorada, onde Lavrov esteve com Lula.

Vieira falou com a imprensa na saída da residência presidencial do Palácio da Alvorada, onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu o chanceler da Rússia, Sergey Lavrov.



Inicialmente, Vieira foi questionado sobre a crítica dos EUA, mas disse que não sabia do que se tratava.

“Eu não posso dizer nada, porque não ouvi e não sei do que se trata. Eu só posso dizer que o Brasil e a Rússia completam este ano 195 anos de relações diplomáticas com embaixadores residentes. Enfim, são dois países que têm uma história em comum”, disse o ministro.

Em seguida, os jornalistas relataram o teor da fala norte-americana, que foi feita pelo porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Kirby. Para ele, o Brasil “está papagueando a propaganda russa e chinesa sem observar os fatos em absoluto”.

“Não. De forma alguma eu concordo. De forma alguma. Não sei como ou por que ele chegou a essa conclusão. Mas não concordo de forma alguma”, respondeu Vieira.

Mais cedo, Lavrov se reuniu com Vieira no Itamaraty. Em declaração à imprensa, o ministro russo disse que Brasil e Rússia têm visões “similares”.

Vieira também foi questionado sobre como foi a conversa com Lavrov a respeito da guerra na Ucrânia. O país foi invadido pela Rússia em fevereiro de 2022.

“Não entramos em questão de guerra, entramos em questão de paz. O Brasil quer promover a paz, está pronto para discutir com um grupo de países, arregimentar um grupo de países e se unir a um grupo de países que estejam dispostos a conversar sobre a paz”, relatou Vieira.

“E essa foi a conversa que nós tivemos. Foram os temas que abordamos, e ele se ofereceu, e eu me ofereci, em nome do Brasil, para promover essas conversas. Com o presidente também, não se falou de guerra, e o presidente só reiterou o que ele tem dito: que o Brasil está disposto a cooperar com a paz”, completou o ministro.

Chanceleres da Rússia, Sergei Lavrov, e do Brasil, Mauro Vieira, se reúnem no Itamaraty

Chanceleres da Rússia, Sergei Lavrov, e do Brasil, Mauro Vieira, se reúnem no Itamaraty




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

dono-do-grupo-wagner-defende-fim-da-guerra-na-ucrania

G1 Mundo

Dono do Grupo Wagner defende fim da guerra na Ucrânia

"Para as autoridades [russas] e a sociedade em geral, é necessário pôr um ponto final na operação militar especial", escreveu Prigozhin num artigo publicado no Telegram na sexta-feira (14/04), em referência ao modo que Moscou chama a guerra na Ucrânia. O ideal, segundo ressaltou, seria "anunciar que a Rússia alcançou os resultados que buscava e, de certa forma, nós conseguimos". "Em teoria, a Rússia já pôs um ponto final aniquilando […]

today17 de abril de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%