G1 Mundo

Mesmo após fala de Macron, diplomatas avaliam que negociações sobre acordo Mercosul-UE devem continuar

today4 de dezembro de 2023 1

Fundo
share close

O acordo é negociado desde 1999. Em 2019, com a conclusão de uma parte das conversas, foi iniciada a fase de revisão. Desde então, os dois grupos mantiveram as negociações, mas não chegaram a um entendimento final.

A União Europeia, por exemplo, incluiu a previsão de sanções em caso de descumprimento de metas ambientais, o que não foi bem recebido pelo Mercosul. O Brasil, por sua vez, passou a reivindicar regras sobre as chamadas compras governamentais (por entender que a medida estimula a indústria nacional).

“Se não tiver acordo, paciência, não foi por falta de vontade. A única coisa que tem que ficar clara é que não digam mais que é por conta do Brasil. E que não digam mais que é por conta da América do Sul”, disse o presidente brasileiro.



Nesta segunda, diplomatas disseram à GloboNews acreditar que as negociações vão continuar, uma vez que, segundo relato deles, a Comissão Europeia segue interessada no fechamento do acordo.

Conforme esses diplomatas, Macron sempre foi contra o termo, mas isso não impediu o andamento das negociações com o grupo.

Presidência brasileira do Mercosul

O Brasil assumiu a presidência rotativa do Mercosul em julho deste ano – o grupo também é formado por Argentina, Paraguai e Uruguai e cada país comanda o bloco por um período de seis meses.

Além das conversas com a UE, o Mercosul mantém negocia acordos com a EFTA (países europeus que não integram a União Europeia), Canadá, Indonésia e Vietnã, por exemplo.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

grupos-de-defesa-lgbtqia+-passam-a-ser-considerados-organizacoes-extremistas-na-russia

G1 Mundo

Grupos de defesa LGBTQIA+ passam a ser considerados organizações extremistas na Rússia

A proibição dirigida a estes grupos se insere num contexto crescente de repressão à comunidade LGBTQIA+ no país. Em março passado, o presidente Vladimir Putin sancionou uma lei que criminaliza qualquer ato que promova “relações sexuais não tradicionais” em filmes, programas de TV ou online e propagandas. Nessa onda discriminatória, cirurgias de mudança de sexo e tratamentos hormonais foram proibidos. Pessoas trans devem se divorciar e são impedidos de adotar […]

today4 de dezembro de 2023 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%