G1 Mundo

Mesmo após rebelião, Putin convidou mercenários do Grupo Wagner para integrar exército da Rússia, diz jornal

today13 de julho de 2023 5

share close

O líder russo disse que cabe ao parlamento e ao governo russo discutir uma estrutura legal para exércitos privados.


O presidente russo, Vladimir Putin, se reúne com membros do Conselho Legislativo da Assembleia Federal antes do Dia Parlamentar da Rússia em São Petersburgo em 28 de abril de 2023. — Foto: Alexey DANICHEV / SPUTNIK / AFP



O presidente da Rússia, Vladimir Putin, ofereceu aos mercenários do Grupo Wagner a oportunidade de continuar servindo no exército regular do país, mesmo após o grupo se rebelar contra o Ministério da Defesa no fim de junho. A revelação foi feita pelo líder russo em uma entrevista para o portal “Kommersant” que foi publicada na noite de quinta-feira (13).

No sábado (24), o líder do Grupo Wagner, formado por milhares de mercenários que apoiam a Rússia na guerra da Ucrânia, ameaçou atacar o Ministério da Defesa russo e iniciou uma marcha até Moscou. O chefe do Wagner, Yevgeny Prigozhin, disse que o exército russo havia atacado um acampamento dos paramilitares.

Putin disse que fez a oferta em uma reunião com combatentes da organização e Prigozhin, dias após o motim.

O líder russo também disse que cabe ao parlamento e ao governo russo discutir uma estrutura legal para exércitos privados.

“[O Grupo] Wagner não existe”, disse Putin ao jornal. “Não há lei sobre organizações militares privadas. [Portanto, a organização] simplesmente não existe.”

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Mundo

ONU afirma que ainda é possível erradicar Aids até 2030; uma pessoa morre por minuto da doença

O plano apresentado em um novo relatório do Unaids (Programa das Nações Unidas para HIV/Aids) mostra que é possível erradicar a Aids "ainda nesta década", segundo a diretora-executiva do programa, Winnie Byanyima. A organização destacou a necessidade de combater as desigualdades, apoiar as comunidades e as organizações da sociedade civil, além de garantir um financiamento adequado e sustentável. Byanyima destacou o progresso no combate ao HIV em países do leste e do sul da África, onde os contágios registraram queda de 57% desde […]

today13 de julho de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%