G1 Mundo

Milhares se oferecem para adotar bebê retirada de escombros após terremoto na Síria

today9 de fevereiro de 2023 23

Fundo
share close

Quando foi resgatada, a bebê Aya — nome que significa milagre em árabe — ainda estava ligada à mãe pelo cordão umbilical. A mãe conseguiu dar à luz, mas não sobreviveu.

Em meio à tragédia, imagens de salvamentos de crianças e animais dão esperança



O pai e todos os quatro irmãos da recém-nascida também morreram depois que o terremoto atingiu a cidade de Jindayris.

Vídeos do resgate de Aya viralizaram nas redes sociais. Imagens mostraram um homem correndo dos escombros de um prédio, segurando um bebê coberto de poeira.

Khalil al-Suwadi, um parente distante que estava lá quando ela foi resgatada, levou a recém-nascida ao médico na cidade síria de Afrin.

“Ela chegou na segunda-feira em um estado muito ruim, tinha inchaços, hematomas, estava com frio e mal respirava”, diz Hani Marouf, o pediatra que cuidou dela.

Aya agora está no hospital e em condição estável.

Aya nasceu sob os escombros — Foto: Reprodução

O diretor do hospital onde a bebê se encontra, Khalid Attiah, diz que recebeu dezenas de ligações de pessoas do mundo todo querendo adotá-la.

Attiah disse que não permitirá que ninguém a adote agora.

“Até que sua família distante retorne, estou tratando-a como se fosse minha (filha)”, afirma.

O diretor do hospital tem uma filha apenas quatro meses mais velha que Aya. Por enquanto, sua esposa está amamentando a bebê resgatada ao lado de sua própria filha.

Milhares de pessoas nas redes sociais também pediram detalhes para adotá-la.

“Estou pronto para cuidar e adotar esta criança… Se os procedimentos legais me permitirem”, disse um âncora de TV do Kuwait.

A bebê perdeu a mãe, o pai e os quatro irmãos na tragédia — Foto: GETTY IMAGES

Na cidade natal de Aya, Jindayris, as pessoas têm procurado por entes queridos em prédios desabados.

“A situação é um desastre. Há tantas pessoas sob os escombros… Ainda há pessoas que ainda não conseguimos tirar”, diz à BBC Mohammed al-Adnan, um jornalista local.

Ele estimou que 90% da cidade foi destruída e a maior parte da ajuda até agora veio da população local.

Equipes de resgate – que ficaram familiarizados com a retirada de pessoas dos escombros por mais de uma década durante a guerra civil da Síria — também têm ajudado em Jindayris.

“Os socorristas podem acabar sendo vítimas também por causa da instabilidade do prédio”, diz Mohammed al-Kamel.

“Acabamos de retirar três corpos dos escombros e achamos que há uma família lá dentro que ainda está viva — vamos continuar trabalhando.”

Mais de 3.000 mortes foram relatadas na Síria após o terremoto, que também atingiu a Turquia.

O número não inclui as mortes em áreas do país controladas por grupos rebeldes.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

conheca-a-blair-house,-onde-lula-vai-ficar-hospedado-nos-eua,-durante-a-visita-a-joe-biden

G1 Mundo

Conheça a Blair House, onde Lula vai ficar hospedado nos EUA, durante a visita a Joe Biden

É na Blair House que o presidente Lula (PT) vai se hospedar durante a estadia em Washington DC. Lula viajou nesta quinta-feira (9) para os EUA. Ele vai se encontrar com o presidente Joe Biden. É comum que líderes estrangeiros em visita aos EUA sejam hospedados lá —Jair Bolsonaro (PL) também ficou na Blair House em 2019. Imagem da fachada da Blair House em 2022 — Foto: Andrew Harnik/AP A […]

today9 de fevereiro de 2023 34

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%