G1 Mundo

Ministro do Petróleo da Venezuela renuncia, e polícia prende autoridades em operação contra corrupção

today21 de março de 2023 17

Fundo
share close

O ministro do Petróleo da Venezuela, Tareck El Aissami, anunciou nesta segunda-feira (20) que irá renunciar ao cargo, e pelo menos seis autoridades foram presas pela polícia após investigações de corrupção, inclusive na empresa estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA).

“À luz das investigações que começaram sobre ocorrências graves de corrupção na PDVSA, tomei a decisão de apresentar minha demissão como ministro do Petróleo, com a intenção de acompanhar e apoiar totalmente esse processo”, afirmou no Twitter El Aissami, que era ministro desde 2020.

A polícia anticorrupção venezuelana prendeu um prefeito, dois juízes e três funcionários do governo, pelo menos dois dos quais estão conectados com a PDVSA, informaram a emissora de televisão estatal e fontes familiarizadas com o assunto na segunda-feira.



Prender funcionários do governo por conta de corrupção é algo raro na Venezuela, país que é descrito como pouco transparente por grupos defensores de direitos como a Transparência Internacional.

El Aissami está sob sanção dos EUA desde 2017 por supostas conexões com o tráfico de drogas, o que ele nega.

Segundo fontes familiarizadas com o caso, entre as autoridades presas estão o coronel Antonio Perez, um ex-vice-presidente responsável por Comércio e Suprimentos na PDVSA, e o coronel Samuel Testamarck, gerente geral do braço marítimo da PDVSA, a PDV Marina.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

eua-afirmam-que-ha-assassinatos-arbitrarios-e-tortura-na-nicaragua

G1 Mundo

EUA afirmam que há assassinatos arbitrários e tortura na Nicarágua

O relatório de direitos humanos do Departamento de Estado de 2022 apontou para 'numerosos relatos de que o governo ou seus agentes cometeram assassinatos arbitrários ou ilegais'. Brasil se oferece para acolher dissidentes da Nicarágua que tiveram nacionalidade retirada por governo O Departamento de Estado dos Estados Unidos (esse órgão tem as mesmas funções de um ministério de relações exteriores) divulgou um relatório anual de direitos humanos nesta segunda-feira (20) […]

today21 de março de 2023 24

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%