G1 Mundo

Modelo autoritário da China encurtou caminho para acordo entre Arábia Saudita e Irã

today13 de março de 2023 20

Fundo
share close

Os regimes da Arábia Saudita e Irã disputam a liderança regional e estão vinculados à maioria dos conflitos que se desenrolam nos países ao seu redor.

O acordo assinado na sexta-feira (10) em Pequim vinha sendo cozinhado em fogo lento há dois anos, com cinco tentativas de negociações fracassadas no Iraque e em Omã. Ponto para a China, que se aproveitou do vazio diplomático deixado pelos EUA no Oriente Médio e costurou uma reaproximação calcada essencialmente no pragmatismo.

O sectarismo permeou a rivalidade entre a Arábia Saudita, sunita, e o Irã, xiita. Os dois países romperam oficialmente em 2016, quando o reino executou o clérigo xiita saudita Nimr al-Nimr, deflagrando um violento ataque de manifestantes à sede de sua embaixada em Teerã.



Até o ano passado, os dois países se enfrentaram numa guerra por procuração no Iêmen. A Arábia Saudita liderou uma campanha militar para reprimir os rebeldes houthis, alinhados ao Irã, com um resultado desastroso: 150 mil mortos e a mais grave crise humanitária do mundo, segundo a ONU, com 20 milhões de pessoas condenadas à fome.

O primeiro teste para saber se este acordo é eficaz será justamente no Iêmen, onde um cessar-fogo expirou em outubro e precisa ser renovado. Arábia Saudita e Irã se habituaram a medir forças, apoiando diferentes facções em conflitos sangrentos no Iraque, na Síria e no Líbano.

A distensão é encarada como um passo significativo para a região. Pequim se fortalece com potencial para atuar como protagonista, ao passo que a influência americana parece diminuta. Sob este aspecto, o governo Netanyahu, que contava com a ajuda dos EUA para chegar a um acordo com a Arábia Saudita, sai perdendo e se isola ainda mais.

Sob o governo Donald Trump, o acordo nuclear firmado com o Irã se esvaiu após a retirada dos EUA. Biden tentou retomá-lo, mas o regime teocrático ganhou tempo para enriquecer urânio a 84% de pureza e se encontra mais próximo da fabricação de uma bomba atômica, conforme constatou recentemente a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Apesar da pressão interna contra o reino, o governo Biden foi obrigado a recuar e conceder imunidade ao príncipe no processo movido pela noiva do jornalista. A alta dos preços dos combustíveis provocada pela guerra da Rússia na Ucrânia fez o presidente americano desembarcar em Riad para um encontro constrangedor com Bin Salman e sair de lá de mãos vazias.

Ancorado no modelo autoritário, a China sequer precisou se dar ao trabalho de abordar temas espinhosos, como as violações dos direitos humanos praticadas pelos regimes saudita e iraniano. Poliu arestas que seriam empecilhos para os EUA, e tornou mais curto o caminho para o acordo.

O gigante asiático entra forte como mediador, para transformar o palco geopolítico, tal como era conhecido até agora por seus atores. Mas não significa que a missão será simples.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

as-ilhas-paradisiacas-assoladas-pela-heroina

G1 Mundo

As ilhas paradisíacas assoladas pela heroína

O governo local trata dessa dependência como uma epidemia. Nem o encarceramento oferece proteção para os dependentes da droga. O programa de TV Africa Eye, da BBC News, conseguiu ter raro acesso à principal penitenciária do país para retratar uma pequena parte do problema que ameaça dominar as ilhas. Empoleirada no topo de uma montanha e rodeada por belas vistas do oceano Índico fica a prisão Montagne Posée, a principal […]

today13 de março de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%