G1 Santos

Morcegos-vampiros atacam cavalos, bois e galinhas no interior de SP; VÍDEO

today28 de julho de 2023 3

share close

Souza contou ter ido à prefeitura para falar sobre a situação, mas, segundo ele, os profissionais da administração municipal demonstraram desconhecimento em relação aos ataques de morcego. O pecuarista ressaltou a preocupação da cidade vizinha com as ocorrências.

Itariri (SP) tem um folder alertando a população para vacinar os animais por causa dos morcegos”. Ele afirmou que para evitar prejuízo, como a perda de mais galinhas e o adoecimento do gado e de cavalos, resolveu vacinar os animais contra a raiva.

A medida, inclusive, é orientada pela Coordenadoria de Defesa Agropecuária de Registro, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, que foi acionada para atender os casos de mordidas de morcegos hematófagos, principais transmissores da raiva (leia mais abaixo).



O órgão pede para que os produtores vacinem e apliquem pasta vampiricida nos animais, o que auxilia no controle da espécie agressora.

“A princípio pensava que era saruê ou gambazinho, mas fui vendo, no lugar onde as galinhas dormem, o sangue escorrendo e entendi que era morcego”, disse Souza.

Morcego-vampiro se alimenta de sangue de mamíferos e aves; ilustrativa — Foto: Vladimir José Rocha

O homem contou à reportagem ter ido um dia à noite até o pasto e confirmou a presença de diversos morcegos. “Eles vêm em cima da gente para atacar”.

O pecuarista implorou por ajuda já que, segundo ele, um empurra o caso para o outro e a Vigilância Sanitária do município não queria registrar a ocorrência. “Tem que vir uma equipe, sei lá da onde, mas esse é meu apelo. […] aqui ninguém sabe quem acionar para vir tomar providência”

“Minha preocupação é com os animais que tenho, e [desse bicho] pegar uma criança ou um adulto. Transmite raiva e vai para cima do ser humano, não é que nem o frutífero”, disse.

O professor de zoologia do curso de Ciências Biológicas da Universidade Santa Cecília (UniSanta), Jorge Luis Santos, disse que esses animais habitam regiões de floresta ou que facilitem o descanso durante o dia para sobrevoarem à noite.

“Eles vão em busca de mamíferos de pequenos, médios e grandes portes. Geralmente, esses animais se acumulam [ficam muito próximos] e acabam fazendo com que eles [morcegos] tenham vantagem”. O profissional alertou que a espécie também oferece riscos aos humanos.

Por ser uma espécie que se alimenta exclusivamente de sangue, esses morcegos podem ser vetores da raiva. “Acaba sendo mais observado em regiões rurais por causa da criação de animais”.

Animal ficou ferido após ser mordido por morcego em em Pedro de Toledo — Foto: Maria Clara Nascimento/Arquivo pessoal e Dione Aguiar/TV Tribuna

A raiva é uma doença transmitida de animais para o homem, causada pelo vírus Lyssavirus, da família Rhabdoviridae. Ela que acomete o sistema nervoso central do infectado, ocasionando uma encefalite [inflamação no cérebro] que geralmente evolui rapidamente. Quase 100% dos contaminados morrem.

A transmissão é feita pela saliva de animais infectados, como: morcegos, cachorros, gatos, vacas, cavalos e coelhos. Não depende, portanto, apenas da mordida, mas podem acontecer em casos de arranhões ou até lambidas.

Diante de uma possível exposição ao vírus da raiva, é imprescindível a limpeza do ferimento com água corrente e sabão. A pessoa infectada deve procurar uma unidade de saúde para tomar a vacina e soro logo após o incidente.

Os sintomas, geralmente, demoram de um a três meses para surgir. E, quando aparecem são: alterações de comportamento [confusão mental, desorientação, agressividade e alucinações], espasmos ao sentir água ou vento, mal-estar geral, aumento de temperatura, náuseas e dor de garganta

Animais na área rural de Pedro de Toledo, no interior de São Paulo, ficam feridos após serem atacados por morcegos-vampiros — Foto: Dione Aguiar/g1

A Prefeitura de Pedro de Toledo informou, em nota, que um morador do bairro Manoel da Nóbrega avisou sobre os ataques de morcegos e, imediatamente, a Vigilância Sanitária entrou em contato com órgãos do Estado, que relataram um surto em Juquitiba, que está a 80 km de distância.

De acordo com a administração municipal, os órgãos estaduais informaram que farão uma varredura para a captura destes animais. A prefeitura disse, ainda, que os departamentos e equipes municipais monitoram a situação e estão preparados para atendimento e suporte aos animais e moradores.

O g1 entrou em contato com a Prefeitura de Itariri, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Santos

Esposa quer punição para motorista de carro de luxo que atropelou e matou marido em rodovia no litoral de SP

Gisele Torres, de 35 anos, pede a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do motorista do automóvel, a quem o carro foi devolvido após a colisão -- a vítima teve a morte confirmada no local. As polícias Civil e Militar não responderam o motivo de não terem avisado a família. O acidente aconteceu no último dia 15, na Padre Manoel da Nóbrega, sentido São Paulo, na altura do km 289. Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMR), o motorista do […]

today28 de julho de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%