G1 Santos

MPT diz que adolescente atingida por raio não deveria trabalhar em carrinho de praia; entenda

today24 de janeiro de 2024 10

Fundo
share close

Millena Monteiro, a adolescente de 16 anos atingida por um raio em Praia Grande, no litoral de São Paulo, recebeu a descarga elétrica enquanto trabalhava em um carrinho de praia. Ao g1, o Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT) informou que o serviço de menores de idade em praias é uma “uma das piores formas de trabalho infantil”.

“É considerada uma das piores formas de trabalho infantil”, acrescentou o MPT, por meio de nota.

Além de estarem expostas ao sol ou chuva, existem outros agravantes para o trabalho infantil na praia, como o comércio de bebidas alcoólicas.



O g1 não localizou o responsável pela barraca de praia onde a adolescente trabalhava até a última atualização desta reportagem.

A Prefeitura de Praia Grande foi questionada sobre a fiscalização sobre o trabalho infantil nas praias da cidade, mas, em nota, se limitou a dizer que a lei responsável pela regulamentação do trabalho de menores de idade (de 14 aos 18 anos) é federal e não municipal.

Conforme citado acima, o TST condenou Guarujá por situação semelhante, por entender que a prefeitura não atuou para coibir oi trabalho infantil nas praias da cidade.

De acordo com a lei nº 10.097/2000 mencionada pela prefeitura, em nota, é considerado menor de idade aquele que tem entre 14 até 18 anos. No texto, com base no artigo 403, está proibido qualquer trabalho de pessoas com menos de 16 anos, “salvo na condição de aprendiz, a partir dos 14”.

A equipe de reportagem apurou junto à família de Milena, porém, que o serviço da menina não era classificado desta forma.

Banhistas são atingidos por raio em praia do litoral de SP

Banhistas são atingidos por raio em praia do litoral de SP

Sete pessoas foram atingidas por um raio, sendo que uma morreu, na tarde deste sábado (20), na praia da Vila Caiçara, em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Seis banhistas seguem hospitalizados.

Imagens obtidas pelo g1 mostram um guarda-vidas fazendo massagem cardiopulmonar na mulher que morreu antes dela ser conduzida à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Samambaia (veja abaixo).

O GBMar socorreu a vítima fatal e outras três vítimas, de 16, 31 e 38 anos. Estas estavam conscientes e foram levadas ao pronto-socorro Central, onde permanecem sob cuidados médicos e estáveis. As demais vítimas seriam turistas.

As demais três vítimas, de acordo com o GBMar, foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e 6° GB de Bombeiros de Praia Grande.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

casal-‘maloka’-entrega-alimentos-para-pessoas-em-situacao-de-rua-e-viraliza:-‘retribuindo-bencaos’

G1 Santos

Casal ‘maloka’ entrega alimentos para pessoas em situação de rua e viraliza: ‘retribuindo bençãos’

Gabrielly Miguel, cabeleireira trans de 25 anos, e Douglas Martins, entregador de aplicativo de 33, agora vivem em uma casa alugada em Santos, no litoral paulista. Há alguns dias, porém, eles também estavam em situação de rua. O casal contou ter dormido nas calçadas de Santos (SP) por dois anos. A vida deles mudou no começo de 2024. O casal pegou um celular emprestado com um amigo e criou um […]

today24 de janeiro de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%