G1 Mundo

Na Europa, Lula critica gastos com guerra na Ucrânia e diz que sanções econômicas servem para ‘penalizar’ vulneráveis

today17 de julho de 2023 15

Fundo
share close

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou nesta segunda-feira (17) gastos com a guerra entre Rússia e Ucrânia em detrimento de investimento em ações de combate à fome. Ele também afirmou que as sanções impostas pelos países europeus, em razão do conflito, penalizam as populações mais vulneráveis.

Lula deu as declarações durante discurso na Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e da União Europeia, em Bruxelas, na Bélgica.

“Em linha com a Carta das Nações Unidas, repudiamos veementemente o uso da força como meio de resolver disputas. O Brasil apoia as iniciativas promovidas por diferentes países e regiões em favor da cessação imediata de hostilidades e de uma paz negociada. Recorrer a sanções e bloqueios sem o amparo do direito internacional serve apenas para penalizar as populações mais vulneráveis”, afirmou o petista.



“A guerra no coração da Europa veio para aumentar a fome e a desigualdade, ao mesmo [tempo em] que elevou os gastos militares globais. Apenas em 2022, em vez de matar a fome de milhões de seres humanos, o mundo gastou 2,24 trilhões de dólares para alimentar a máquina de guerra, que só causa mortes, destruição e ainda mais fome”, declarou Lula em Bruxelas.

No pronunciamento, diante de chefes de Estado de diversos países, Lula defendeu a proteção da Amazônia e voltou a dizer que o Brasil acabará com o desmatamento ilegal no bioma até 2030. No entanto, Lula afirmou que a floresta “não pode ser vista apenas como um santuário ecológico”.

“O desenvolvimento sustentável possui três dimensões inseparáveis: a econômica, a social e a ambiental. O mundo precisa se preocupar com o direito de viver bem dos habitantes da Amazônia”, afirmou.

O presidente brasileiro voltou a cobrar, das potências mundiais, a destinação de recursos para o desenvolvimento sustentável, uma promessa feita há mais de dez anos.

“Em 2009, os países ricos se comprometeram a destinar 100 bilhões de dólares ao ano para os países em desenvolvimento, como forma de compensação pelo mal que causaram ao planeta desde a revolução industrial. Esse compromisso nunca foi cumprido”, afirmou.

Lula defende conclusão do acordo UE-Mercosul em viagem a Bruxelas para cúpula com europeus

Lula defende conclusão do acordo UE-Mercosul em viagem a Bruxelas para cúpula com europeus

O presidente também defendeu a regulamentação de plataformas digitais, para o enfrentamento a fake news e crimes cibernéticos.

“É urgente regulamentarmos o uso das plataformas para combater ilícitos cibernéticos e a desinformação. O que é crime na vida real, deve ser crime no mundo digital.

No discurso, Lula também falou sobre os aplicativos de entrega de comida e de transporte. Ele disse que essas plataformas “não podem simplesmente abolir as leis trabalhistas” dos países.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

por-que-suspeitos-de-agressao-a-alexandre-de-moraes-em-roma-responderao-no-brasil

G1 Mundo

Por que suspeitos de agressão a Alexandre de Moraes em Roma responderão no Brasil

A conduta dos brasileiros acusados de hostilizar Moraes e sua família poderia ser enquadrada pela PF como agressão, injúria, difamação ou até tentativa de abolir o Estado Democrático de Direito. Na ocasião, Moraes, que voltava de uma palestra na Universidade de Siena, teria sido chamado de "bandido, comunista e comprado". Pela lei brasileira, isso poderia tipificar crime contra a honra. O artigo 141 do Código Penal prevê também um aumento […]

today17 de julho de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%