G1 Mundo

‘Não há futuro para a Rússia’, diz Biden em celebração dos 80 anos do Dia D em praia da Normandia; Putin não foi convidado

today7 de junho de 2024 10

Fundo
share close

A Rússia foi excluída do evento — a União Soviética lutou ao lado dos Aliados (Reino Unido, Estados Unidos e França) na Segunda Guerra Mundial. O governo da França, responsável pela celebração, não convidou nem representantes do governo de Vladimir Putin nem da oposição russa ou da sociedade civil, um sinal do isolamento do país pelas potências ocidentais

Já o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, foi convidado, uma forma de demonstrar até que ponto os aliados pensam que Moscou está do lado errado da história.

Em seu discurso, que abriu a cerimônia, Biden disse que “não há futuro para Rússia” e reforçou o apoio dos EUA e da Otan na Ucrânia.



“Não se enganem, nós não nos curvaremos, não nos renderemos aos agressores, isso é simplesmente impensável. Se fizermos isso, toda a Europa estará ameaçada”, afirmou o presidente norte-americano.

Além de Biden, o rei Charles III do Reino Unido e o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, também compareceram, representando as três grandes nações que desembarcaram nas praias normandas em 6 de junho de 1944.

O presidente francês, Emmanuel Macron, também convidou quase 200 veteranos que lutaram no Dia D.

Protestos de dissidentes russos

Dia D: os 80 anos da invasão que pegou os nazistas de surpresa na 2ª Guerra Mundial

Dia D: os 80 anos da invasão que pegou os nazistas de surpresa na 2ª Guerra Mundial

Para alguns dissidentes russos presentes no evento, a exclusão dos representantes de Putin foi legítima, mas membros da oposição deveriam ter sido convidados.

“Não é normal que representantes da Rússia, que sacrificou milhões de soldados nesta guerra, não estejam presentes” nas cerimônias, disse à agência Lev Ponomarev, co-fundador da ONG russa de direitos humanos Memorial, à AFP.

“Os representantes da Rússia fascista não têm lugar lá, mas acredito que a oposição poderia e deveria ter estado lá”, completou Ponomarev, dissidente de 82 anos que se exilou na França após a invasão da Ucrânia.

Nós representamos a Rússia que derrotou o nazismo, até porque nos levantamos contra o fascismo de Putin”, afirma o cofundador da ONG que recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2022.

Para Olga Prokopieva, representante da associação ‘Russie-Libertés’, com sede em Paris, “a propaganda russa aproveitará a ausência da Rússia e a apresentará como uma humilhação do povo russo”.

Em abril, a França indicou que convidaria autoridades russas, mas não Putin, em nome da contribuição soviética para a vitória contra a Alemanha, mas acabou por decidir não convidar ninguém por causa da “guerra de agressão” contra a Ucrânia.

A ‘Russie-Libertés’ pediu a Macron que convidasse opositores russos e membros da sociedade civil como Yulia Navalnaya, viúva de Alexei Navalny – que morreu na prisão em fevereiro -, ou Evgenia Kara-Murza, cujo marido Vladimir Kara-Murza está preso por se opor à guerra na Ucrânia.

Embora o presidente francês tenha recebido Navalnaya no fim de semana passado, a associação não conseguiu o seu objetivo.

A França indicou que a “contribuição decisiva” da URSS na vitória contra o nazismo seria mencionada durante as cerimônias na praia de Omaha e durante os “eventos” planejados nos cemitérios onde os soldados russos repousam em solo francês.

Líderes mundiais e veteranos celebram 80 anos do Dia D

Líderes mundiais e veteranos celebram 80 anos do Dia D

Em Moscou, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, negou qualquer conversa nos últimos meses sobre a participação russa nas cerimônias. “Não tivemos nenhum contato sobre esse assunto”, disse ele.

O jornalista russo Dmitri Muratov, cofundador do jornal independente Novaya Gazeta e vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 2021, estima que a única presença importante nas comemorações seja a dos veteranos da Segunda Guerra Mundial.

Para ele, a única coisa relevante é impedir a agressão russa contra a Ucrânia. Muratov apela aos veteranos para que peçam um cessar-fogo, “em memória daqueles que morreram pela paz durante a Segunda Guerra Mundial”.

“Estas são as pessoas que têm legitimidade para exigir que Putin e o mundo parem os combates”, argumenta.

Exército do Reino Unido recria desembarque de tropas em paraquedas nos 80 anos do Dia D

Exército do Reino Unido recria desembarque de tropas em paraquedas nos 80 anos do Dia D




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-calculo-eleitoral-de-biden-ao-restringir-imigracao-ilegal-na-fronteira-com-mexico

G1 Mundo

O cálculo eleitoral de Biden ao restringir imigração ilegal na fronteira com México

A ordem executiva emitida pelo presidente Joe Biden prevê que as pessoas que cruzarem ilegalmente a fronteira EUA-México não receberão asilo. Mas isto só ocorrerá quando a fronteira sul estiver "sobrecarregada". Isso também tornará mais fácil para que os oficiais de imigração removam pessoas que estão ilegalmente nos Estados Unidos. Essas ações não são permanentes e não serão aplicadas quando a passagem de migrantes for suficientemente baixa para que as […]

today7 de junho de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%