G1 Mundo

‘Não vou me opor a conversas’, diz presidente da Guiana após Maduro propor diálogo sobre Essequibo

today9 de dezembro de 2023 30

Fundo
share close

A declaração de Ali foi feita poucas horas depois de o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, dizer ser necessário “sentar e conversar” com a Guiana. Foi a primeira vez que Maduro suavizou o tom desde que seu país aprovou em referendo, realizado no domingo (3) a anexação do território, com participação de metade dos eleitores da Venezuela.

“Estamos comprometidos com a paz na região”, disse Ali. “A Corte Internacional de Justiça vai decidir, no fim das contas, sobre a polêmica na fronteira Guiana/ Venezuela. Nós já deixamos que claro que não temos oposição a conversas e reuniões enquanto pessoas responsáveis e enquanto país”.

A Venezuela afirma ser a verdadeira proprietária de Essequibo, um trecho de 160 quilômetros quadrados que corresponde a cerca de 70% de toda a Guiana e atravessa seis dos dez estados do país.



Entenda melhor o conflito entre Venezuela e Guiana

Entenda melhor o conflito entre Venezuela e Guiana

O território de Essequibo é disputado pela Venezuela e Guiana há mais de um século. Desde o fim do século 19, está sob controle da Guiana. A região representa 70% do atual território da Guiana e lá moram 125 mil pessoas.

Na Venezuela, a área é chamada de Guiana Essequiba. É um local de mata densa e, em 2015, foi descoberto petróleo na região. Estima-se que na Guiana existam reservas de 11 bilhões de barris, sendo que a parte mais significativa é “offshore”, ou seja, no mar, perto de Essequibo. Por causa do petróleo, a Guiana é o país sul-americano que mais cresce nos últimos anos.

A Guiana afirma que é a proprietária do território porque existe um laudo de 1899, feito em Paris, no qual foram estabelecidas as fronteiras atuais. Na época, a Guiana era um território do Reino Unido.

Tanto a Guiana quanto a Venezuela afirmam ter direito sobre o território com base em documentos internacionais.

Já a Venezuela afirma que o território é dela porque assim consta em um acordo firmado em 1966 com o próprio Reino Unido, antes da independência de Guiana, no qual o laudo arbitral foi anulado e se estabeleceram bases para uma solução negociada.

Guiana pediu ajuda à ONU e à Corte Internacional de Justiça

Venezuela aprova anexar Guiana — Foto: Reprodução

A Guiana havia pedido para que a corte tomasse uma medida de emergência para interromper a votação na Venezuela.

Em abril, a Corte Internacional de Justiça afirmou que tem legitimidade para tomar as decisões sobre a disputa. Esse órgão é a corte mais alta da Organização das Nações Unidas (ONU) para resolver disputadas entre Estados, mas não tem como fazer suas determinações serem cumpridas.

A decisão final sobre quem é o dono de Essequibo ainda pode demorar anos.

O governo venezuelano disse que a decisão é uma interferência em uma questão interna e fere a Constituição e levou adiante o referendo. Segundo Caracas, 96% dos votantes escolheram pela anexação de Essequibo – a consulta pública teve comparecimento de cerca de metade dos eleitores da Venezuela.

Venezuela x Guiana: Entenda em 5 pontos disputa por Essequibo

Venezuela x Guiana: Entenda em 5 pontos disputa por Essequibo




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

dois-soldados-israelenses-sao-gravemente-feridos-em-tentativa-frustrada-de-resgate-de-refens;-palestinos-saqueiam-caminhao-de-ajuda-humanitaria

G1 Mundo

Dois soldados israelenses são gravemente feridos em tentativa frustrada de resgate de reféns; palestinos saqueiam caminhão de ajuda humanitária

Além dos soldados feridos, tentativa de resgate teria causado a morte do refém Sahar Baruch, de 25 anos. Palestinos sobem em caminhão de ajuda humanitária em Gaza No início deste sábado (10), o caminhão com ajuda humanitária entrou em Gaza na passagem de Rafah, enquanto aviões de guerra israelenses bombardeavam partes da Faixa de Gaza. A população precisou pular no caminhão em movimento para coletar os alimentos, informa a agência […]

today9 de dezembro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%