G1 Mundo

Netanyahu diz que Hamas interfere em agência da ONU na Faixa de Gaza

today29 de janeiro de 2024 4

Fundo
share close

Na semana passada, a UNRWA, que atua na Faixa de Gaza, disse estar investigando uma denúncia de que funcionários seus tiveram participação no ataque de 7 de outubro a Israel.

“A UNRWA é perfurada pelo Hamas. Descobrimos que havia 13 trabalhadores da UNRWA que realmente participaram, direta ou indiretamente, no massacre de 7 de outubro”, disse. “Nas escolas da UNRWA, eles ensinam as doutrinas de extermínio de Israel – as doutrinas do terrorismo, louvando o terrorismo, glorificando o terrorismo.”

Na sexta-feira, a agência anunciou que demitiu e abriu uma investigação criminal contra um grupo de funcionários suspeitos de envolvimento nos ataques.



“Para proteger a capacidade da agência de prestar assistência humanitária, tomei a decisão de rescindir imediatamente os contratos desses funcionários e iniciar uma investigação para estabelecer a verdade sem demora”, afirmou Philippe Lazzarini, comissário-geral da UNRWA.

“Essas alegações chocantes ocorrem no momento em que mais de 2 milhões de pessoas em Gaza dependem da assistência vital que a agência vem fornecendo desde o início da guerra”, disse Lazzarini também.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, também chegou a dizer que estava “estarrecido” com a acusação e pediu uma apuração rápida.

A UNRWA tem fornecido ajuda e usado suas instalações para abrigar pessoas que fugiram de bombardeios e de uma ofensiva terrestre lançada por Israel em Gaza, nos quais, segundo Israel, cerca de 1.200 pessoas morreram e 253 pessoas foram feitas reféns.

O braço da ONU foi criado em 1949 após a primeira guerra árabe-israelense, oferece serviços que incluem educação, cuidados primários de saúde e ajuda humanitária aos palestinos em Gaza, Cisjordânia, Jordânia, Síria e Líbano.

Corte no repasse de verba

Após a denúncia de suposta participação no ataque, ao menos sete países anunciaram que suspenderam o financiamento a agência da ONU.

Canadá, Austrália, Itália, Finlândia e Reino Unido se juntaram aos Estados Unidos e anunciaram que vão parar o repasse à UNRWA até que a investigação sobre o caso termine.

O Departamento de Estado americano ao anunciar a decisão, por exemplo, afirmou estar “profundamente apreensivo” com as acusações de suposto envolvimento de pessoal da ONU nos ataques.

Em comunicado, o comissário-geral da UNRWA, por sua vez, afirmou que “estas decisões ameaçam o nosso trabalho humanitário em curso em toda a região, incluindo e especialmente na Faixa de Gaza”.

Um porta-voz da agência também disse que se o financiamento não for retomado, a UNRWA conseguirá prestar seus serviços em toda a região, incluindo Gaza, até fevereiro.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%