G1 Mundo

No Equador, eleitores decidem proteger parque na amazônia contra exploração de petróleo que poderia render R$ 82 bi em 20 anos

today21 de agosto de 2023 7

Fundo
share close

Na consulta popular histórica, 59% dos eleitores equatorianos aprovaram a suspensão da exploração de petróleo no local, de acordo com o resultado oficial de 98% das urnas eleitorais divulgado nesta segunda-feira (21).

No subsolo da reserva florestam de Yasuní há um bloco de petróleo que já era explodrado. Com a decisão das urnas no domingo, o petróleo que ainda não foi retirado vai ficar na reserva por tempo indeterminado.

O parque Yasuní tem um um milhão de hectares e pertence a uma empresa estatal de óleo e gás, a Petroecuador. O bloco representa 0,08% da área do parque, e é o quarto em produção de petróleo do país, com 57 mil barris por dia, o equivalente a 12% do petróleo do país.



Com a vitória da preservação no referendo de domingo, o governo estima perdas de R$ 81,8 bilhões em 20 anos.

O rendimento atual desse bloco específico fica atrás de outros três campos de óleo que também ficam na região amazônica do Equador. Outros campos de petróleo ainda estão ativos no parque Yasuní.

Nesse local vivem as comunidades indígenas waoranis, kichwas, e também as comunidades indígenas em isolamento voluntário tagaeri, taromenane e dugakaeri.

Localizada entre as províncias de Pastaza e Orellana, esta reserva captura carbono e depois bombeia oxigênio e vapor d’água que recarrega as fontes hídricas.

Promovido por ambientalistas, o referendo sobre o Yasuní chamou a atenção internacional, enquanto o mundo busca reduzir os combustíveis fósseis e mitigar o aquecimento global.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

navio-cargueiro-‘movido-a-vento’-estreia-em-viagem-ao-brasil

G1 Mundo

Navio cargueiro ‘movido a vento’ estreia em viagem ao Brasil

A empresa de transporte marítimo Cargill, que fretou a embarcação, diz esperar que a tecnologia ajude a indústria a caminhar em direção a um futuro mais verde. O uso das grandes velas (ou "asas") WindWings, de design britânico, visa a reduzir o consumo de combustível e, portanto, a pegada de carbono do transporte marítimo. Estima-se que a indústria seja responsável por cerca de 2,1% das emissões globais de dióxido de […]

today21 de agosto de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%