G1 Mundo

No Marrocos, um vilarejo chora seus mortos pelo terremoto

today9 de setembro de 2023 2

Fundo
share close

“Eu perdi tudo”, admite Lahcen, dominado pela tristeza e abatido no posto de saúde desta pequena localidade, localizada a mais de uma hora de carro da turística cidade de Marraquexe.

No sábado (9) à tarde, os socorristas ainda não haviam conseguido retirar o corpo de sua esposa e de um de seus filhos dos escombros de sua casa, que desabou durante o terremoto. Os corpos de dois de seus filhos já haviam sido retirados.

“Tudo que eu quero é me afastar do mundo e lamentar minha perda”, afirma Lahcen, que estava fora de casa quando o terremoto ocorreu.



Com uma magnitude de 6,8, o terremoto causou até a última atualização desta reportagem 1.305 mortes e mais de 1.800 feridos.

Segundo a imprensa marroquina, este é o terremoto mais poderoso já registrado no país do norte da África.

Moradores do vilarejo de Moulay Brahim, um dos mais afetados pelo terremoto, rezam diante de vítimas da tragédia. — Foto: Fadel Senna/AFP

Mais da metade das mortes registradas até o momento ocorreu na província de Al Hauz, no epicentro do terremoto e onde está Moulay Brahim.

As equipes de resgate, com a ajuda de maquinário de construção, continuam a procurar sobreviventes nos destroços deste vilarejo, que sofreu dezenas de mortes.

Os moradores do município, que tem cerca de 3.000 habitantes, já começaram a cavar sepulturas em uma colina.

“É uma tragédia terrível, estamos chocados com essa desgraça”, diz Hasna, uma moradora sentada à porta de sua casa, incapaz de esconder sua “comoção”.

“Embora minha família esteja a salvo, todo o vilarejo chora por seus filhos. Muitos vizinhos perderam parentes. É uma dor indescritível”, acrescenta.

Bombeiros procuram por sobreviventes em edifício colapsado no vilarejo de Moulay Brahim, um dos mais afetados pelo terremoto no Marrocos. — Foto: Fadel Senna

No topo da cidade, Bouchra enxuga os olhos marejados enquanto vê alguns de seus vizinhos cavando sepulturas.

“Os filhos da minha prima morreram”, lamenta antes de lembrar com uma voz frágil: “Vi os estragos do terremoto ao vivo e ainda tremo agora. Foi como se uma bola de fogo tivesse devorado tudo em seu caminho”.

“Todo mundo aqui perdeu alguém de sua família, seja no vilarejo ou em outros da região”, diz.

Além de sua família mais próxima, Lahcen Aït Tagaddirt também sofreu a perda de dois sobrinhos, de 6 e 3 anos.

“É a vontade de Deus”, repete este homem vestido com uma túnica tradicional, lamentando a dureza da vida nesta região montanhosa: “Não temos nada aqui”.

Outro vizinho, mais jovem e que prefere não dar seu nome, lembra como um de seus tios “escapou por um triz”.

“Ele estava rezando quando o teto desabou sobre ele, mas milagrosamente conseguiram resgatá-lo com vida, apesar de sua casa ter desabado”, explica.

“É impressionante como um tremor de apenas alguns segundos pode causar tamanha tragédia”.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

sobe-para-6-o-numero-de-mortos-em-inundacoes-causadas-por-chuvas-torrenciais-na-espanha

G1 Mundo

Sobe para 6 o número de mortos em inundações causadas por chuvas torrenciais na Espanha

O corpo de uma mulher foi encontrado neste sábado (9) na província espanhola de Toledo, no centro da Espanha, por uma equipe de busca do exército, elevando para seis o número de mortos devido às chuvas torrenciais do fim de semana passado na Espanha. Um cachorro treinado da Unidade Militar de Emergências (UME) localizou o corpo a cerca de 50 metros do rio Vallehermoso, perto de Valmojado, de acordo com […]

today9 de setembro de 2023 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%