G1 Mundo

No Peru, juiz decide que perdão a Alberto Fujimori é inadmissível

today1 de dezembro de 2023 5

Fundo
share close

Apesar de uma corte de Justiça ter dado perdão ao ex-presidente Alberto Fujimori, um juiz determinou nesta sexta-feira (1º) que essa decisão é inadmissível, e manterá o político preso.

Fujimori foi presidente do Peru nos anos 1990. Ele foi condenado por ter dado ordem para o massacre de 25 pessoas nos anos de 1991 e 1992. Na época, o governo do Peru estava em conflito com a guerrilha do Sendero Luminoso.

Fujimori, de 85 anos, está cumprindo uma pena de 25 anos por corrupção e violações de direitos humanos. Em 2017, ele recebeu um perdão presidencial, mas a medida já foi reveritida três vezes.



Nesta semana, o tribunal constitucional do Peru decidiu que o perdão é válido. No entanto, a questão precisava ser ainda encaminhada a um juiz de primeira instância para que ele confirmasse a decisão de libertar Fujimori.

O Ministério da Justiça do Peru disse na quarta-feira que o governo é obrigado a cumprir a decisão a favor do perdão.

Organizações de direitos humanos e familiares de vítimas de abusos criticaram a decisão.

A Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) pediu ao governo peruano para não libertar o ex-presidente.

A CIDH solicitou agora ao governo peruano que envie ao tribunal internacional um relatório até 6 de dezembro confirmando sua decisão de não libertar Fujimori, de acordo com uma carta postada pelo advogado da CIDH, Carlos Rivera, em sua conta na plataforma X na manhã de quarta-feira.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

milei-nomeia-ex-juiz-que-integrou-grupo-nazista-e-atacou-sinagoga-para-procuradoria-geral

G1 Mundo

Milei nomeia ex-juiz que integrou grupo nazista e atacou sinagoga para Procuradoria-Geral

O presidente eleito da Argentina, o ultradireitista Javier Milei, nomeou o jurista Rodolfo Barra como procurador nesta sexta-feira (1º). A indicação gerou controvérsia, já que o ex-juiz integrou um grupo neonazista na juventude e chegou a atacar uma sinagoga. Barra, de 75 anos, ocupará a partir de 10 de dezembro a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, que presta assessoria jurídica ao Estado e o defende em julgamentos. A partir dessa posição, […]

today1 de dezembro de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%