G1 Mundo

O desaparecimento do submarino que ia explorar o Titanic: guardas costeiras dos EUA e do Canadá buscam sobreviventes

today20 de junho de 2023 32

Fundo
share close

No domingo (18), um submarino turístico chamado Titan, que levava turistas para explorar os destroços do Titanic, perdeu o contato com um barco na superfície, o Polar Prince, cerca de uma hora e 45 minutos após iniciar o mergulho em direção ao local dos destroços. Cinco pessoas estavam dentro da embarcação.

Agora, as guardas costeiras dos Estados Unidos e do Canadá fazem buscas e pedem ajuda para tentar localizar o Titan.

A embarcação desapareceu na área do naufrágio do Titanic no Atlântico Norte, a cerca de 600 quilômetros da costa do Canadá.



A Guarda Costeira dos EUA informou que havia um piloto e quatro passageiros a bordo do submarino. Embora o Titan tivesse capacidade para ficar submerso por 96 horas, não estava claro se ainda estava submerso ou se havia emergido e não conseguia se comunicar.

Após o desaparecimento do submarino, autoridades dos EUA e do Canadá mobilizaram navios e aviões para realizar buscas na área, que ficava cerca de 1,5 mil quilômetros da costa dos EUA.

O Almirante John Mauger, comandante da Guarda Costeira dos EUA, disse que recursos adicionais (ou seja, mais barcos, mais aeronaves etc.) chegarão nos próximos dias.

Submarino que leva turistas para ver o Titanic desaparece no Atlântico

Submarino que leva turistas para ver o Titanic desaparece no Atlântico

“É uma área remota, e é um desafio realizar uma busca nessa área remota, mas estamos mobilizando todos os recursos disponíveis para garantir que possamos localizar a embarcação e resgatar as pessoas a bordo”, disse ele.

Várias embarcações privadas lançaram sonares submarinos capazes de monitorar até uma profundidade de 3.962 metros para localizar o submarino.

Bilionário e especialista no naufrágio

A empresa privada OceanGate Expeditions, responsável pela operação do submarino, afirmou que estava “mobilizando todas as opções” para resgatar as pessoas a bordo.

Paul-Henry Nargeolet, um ex-militar da Marinha francesa, também está no submarino, de acordo com o jornal “The Guardian”.

No comunicado da OceanGate, eles expressaram profunda gratidão pela assistência recebida de várias agências governamentais e empresas de exploração em alto mar no esforço para restabelecer o contato com o submarino.

Autoridades também buscaram a ajuda de embarcações privadas na região (principalmente os barcos comerciais, como os pesqueiros) e continuaram com as operações de busca e resgate durante a noite. Mais embarcações foram mobilizadas na busca, e também estão sendo usadas aeronaves.

O Titanic foi um navio transatlântico que foi considerado o maior e mais luxuoso navio de passageiros de sua época. Construído no começo do século 20 pela empresa britânica White Star Line, o navio ficou famoso pelo seu naufrágio.

Em 10 de abril de 1912, a embarcação saiu da cidade de Southampton, na Inglaterra, com destino a Nova York, nos EUA.

Restos do Titanic estão a 3.800m de profundidade no fundo do Atlântico — Foto: REUTERS

Quatro dias depois, em 14 de abril, o Titanic bateu em um iceberg e afundou. Não havia botes salva-vidas suficientes, e mais de 1.500 pessoas morreram.

Depois desse desastre, as leis e regulamentos de segurança marítima foram alteradas (passaram a exigir botes salva-vidas suficientes para todos os passageiros a bordo, por exemplo).




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

iniciada-em-2021,-expedicao-turistica-ao-titanic-exige-que-visitantes-assinem-termo-sobre-‘risco-de-morte’;-saiba-mais

G1 Mundo

Iniciada em 2021, expedição turística ao Titanic exige que visitantes assinem termo sobre ‘risco de morte’; saiba mais

Um submersível que levava turistas até o local onde estão os destroços do Titanic, a 3.800 metros de profundidade, desapareceu na segunda-feira (19). A Expedição Titanic, como é chamada a viagem, é coordenada pela empresa OceanGate e estreou em 2021. O pacote individual para ver as ruínas do navio, que afundou em 1912, custa US$ 250 mil (R$ 1,19 milhão) e inclui o treinamento necessário para integrar a equipe. A […]

today20 de junho de 2023 25

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%