G1 Mundo

O que dizem as primeiras pesquisas após a condenação de Trump

today8 de junho de 2024 5

Fundo
share close

Mesmo condenado, Trump, do Partido Republicano, concorrerá com o atual presidente dos EUA Joe Biden, do Partido Democrata, nas eleições de 5 de novembro. Ambos estão praticamente empatados nas pesquisas, com diferença de 0,3% para Trump, segundo média obtida pelo RealClear Politics, que agrega diferentes pesquisas sobre a disputa eleitoral.

De maneira geral, a intenção de voto não se alterou de forma impactante com a decisão da Justiça. Analistas informaram à imprensa americana, porém, que qualquer pequena variação pode ser decisiva para o resultado final, porque os dois candidatos estão muito próximos.

Veja abaixo as principais conclusões das pesquisas elaboradas após a condenação —os questionários e a metodologia variaram entre os levantamentos.



The New York Times/Siena College: cai apoio a Trump

  • Pesquisa Siena College com o jornal The New York Times, divulgada em 5 de junho, ouviu as mesmas 1.897 pessoas em abril e maio, antes e depois da condenação de Trump. Na primeira pesquisa, Trump liderava por três pontos percentuais; depois da condenação, a diferença caiu para um ponto. O levantamento foi feito por telefone e não tem margem de erro —segundo o jornal, ele “não necessariamente representa a opinião de todo o eleitorado”.

  • De uma pesquisa para a outra, 7% das pessoas que diziam apoiar Trump mudaram de ideia, mas nem todas migraram para a candidatura de Biden: 3% dos apoiadores de Trump na primeira pesquisa afirmaram após a condenação que votarão em Biden. Outros 4% afirmaram que agora estão indecisos.

Pesquisa anterior à condenação de Trump

Donald Trump 48%
Joe Biden 45%

Pesquisa posterior à condenação criminal de Trump

Donald Trump 47%
Joe Biden 46%

The 19th News/SurveyMonkey: não houve mudanças nas intenções de voto

  • Levantamento do site The 19th News e da consultoria SurveyMonkey aponta não ter havido mudança nas intenções de voto —mesmo que tenha havido movimentação dos eleitores.
  • O levantamento foi feito com 5.893 pessoas. Cerca de 10% afirmaram que a condenação fez com que eles reconsiderassem a escolha, mas isso não significa que Trump perdeu eleitores: não necessariamente esses votos irão para Biden.
  • O levantamento tem margem de erro de 1,5 ponto percentual, para mais ou para menos.

Intenção de voto após condenação de Trump

Donald Trump 34%
Joe Biden 30%
Indecisos 20%
Não pretende votar 9%

Reuters/Ipsos: republicanos em dúvida

  • Uma pesquisa da Reuters Ipsos feita horas após a condenação aponta que 10% dos eleitores do Partido Republicano afirmaram que agora estão menos propensos a votar em Trump.
  • Já entre os eleitores independentes (nem do Partido Democrata e nem do Partido Republicano), 25% disseram que após Trump ser considerado culpado, a chance de votarem nele diminuiu. Outros 18% afirmaram que agora a propensão em votar em Trump aumentou.
  • Foram ouvidos 2.556 americanos. A margem de erro é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

ABC/Ipsos: eleitores independentes acham que Trump deve desistir

  • A rede ABC também fez uma pesquisa com a Ipsos, divulgada em 2 de junho. A maioria (52%) dos eleitores independentes diz considerar que a condenação foi correta e que Trump deveria abandonar a candidatura.
  • Foram ouvidos 718 americanos. A margem de erro é de 3,7 pontos percentuais.

Morning Consult: republicanos defendem desistência de Trump

  • A consultoria Morning Consult identificou em pesquisa divulgada em 1º de junho que 15% dos eleitores do Partido Republicano querem que ele desista da candidatura. Entre os eleitores do próprio Trump, são 8%.
  • Foram ouvidos 2.220 eleitores registrados. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para cima ou para baixo.

Trump foi condenado no dia 30 de maio por fraude contábil ao ocultar um pagamento de US$ 130 mil para comprar o silêncio da atriz pornô Stormy Daniels na eleição de 2016, quando derrotou Hillary Clinton, do Partido Democrata. Segundo a acusação, o suborno foi usado para ocultar a relação com Daniels e, assim, interferir no processo eleitoral.

A decisão do júri, anunciada num tribunal de Nova York, foi unânime. Trump foi declarado culpado em todas as 34 acusações pelos 12 integrantes do colegiado.

Ao deixar o tribunal, o ex-presidente atacou o juiz e disse que o “verdadeiro veredito” virá em novembro, na eleição.

Mesmo candidato, talvez ele seja impedido de votar em novembro, porque o registro de eleitor de Trump é da Flórida, e naquele estado condenados não podem votar até que cumpram totalmente sua pena.

O juiz do caso, Juan Merchan, ainda vai determinar a pena. A decisão deve sair em 11 de julho. Na pior das hipóteses, Trump pode pegar 4 anos de prisão.

No entanto, analistas americanos consideram pouco provável que o ex-presidente vá para a cadeia. Isso porque as 34 acusações se referem a crimes de Classe E, considerados leves em Nova York.

Além disso, o juiz pode considerar que:

  • É a primeira condenação criminal de Trump;
  • O crime não foi violento;
  • A idade do condenado é de 77 anos;
  • Ele já foi presidente dos EUA e pode ser novamente.
  • Em vez de prisão, o juiz pode optar por uma pena mais branda, como liberdade condicional ou multa.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

quem-foi-william-anders,-astronauta-autor-de-foto-historica-da-terra-que-morreu-em-queda-de-aviao

G1 Mundo

Quem foi William Anders, astronauta autor de foto histórica da Terra que morreu em queda de avião

Anders nasceu em 17 de outubro de 1933, em Hong Kong — quando o território estava sob domínio do Reino Unido — e mudou-se para os Estados Unidos ainda criança. O piloto começou a carreira se graduando em Ciência pela Academia Naval dos Estados Unidos, em 1955. Já no início da década de 1960, tornou-se mestre em Engenharia Nuclear pelo Instituto de Tecnologia da Força Aérea. Após concluir os estudos, […]

today8 de junho de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%