G1 Mundo

O que querem os extremistas republicanos que paralisam a Câmara dos EUA?

today6 de janeiro de 2023 8

Fundo
share close

Em seis votações, essa minoria radical do partido empurrou o líder para o limbo e impôs a desordem na estreia da legislatura.

O grupo rebelde expõe sem pudor a realidade disfuncional do partido e se alinha ao House Freedom Caucus, a sua ala mais extremista, criada em 2015 com o slogan “Washington não nos representa”. O grupo antissistema é moldado no Tea Party, que em 2010 também levou o partido a uma guerra interna e à derrota do então presidente da Câmara, John Boehner.

Seu objetivo? Angariar mais poder para mudar a forma como a Câmara opera e os projetos são encaminhados: na sua ótica a hierarquia tem que começar de baixo, fortalecendo a estrutura dos comitês legislativos.



Os dissidentes de extrema direita pregam ainda o reforço da fronteira dos EUA com o México, o corte de fundos, a eliminação de impostos federais sobre a renda e a sua substituição por tributos sobre o consumo.

Neste sentido, Kevin McCarthy é considerado por eles um representante leal ao sistema que rejeitam. Um levantamento publicado pelo jornal “The New York Times” revela, sem surpresa, a lealdade do grupo a Donald Trump. Quinze dos 20 foram apoiados pelo ex-presidente nas eleições de meio de mandato. A grande maioria reverbera a tese de que a vitória de Joe Biden, em 2020, foi roubada.

O ex-presidente, contudo, manifestou apoio a McCarthy e ao fim do caos, após ele ter sido derrotado em três rodadas de votação. Os radicais não lhe deram ouvidos e prosseguiram com o desafio, num indício de que Trump pode também estar perdendo sua área de influência.

Membros do grupo Freedom Caucus conversam durante sessão na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, em 3 de janeiro de 2022. — Foto: Andrew Harnik/ AP

A campanha “Never Kevin” (Nunca Kevin) começou com cinco fervorosos opositores de McCarthy, entre eles os congressistas Matt Gaetz, da Flórida, e Andy Biggs, do Arizona. Foi ampliada para 20, embora nem todos os integrantes do original Freedom Caucus sejam contrários a McCarthy.

Necessitado de votos, o líder da maioria republicana fez várias concessões aos dissidentes, certa vez qualificados pelo antecessor John Boehner como “terroristas legislativos”. McCarthy cedeu, cedeu e se enfraqueceu. Não há prognóstico favorável a ele, ainda que desbloqueie o impasse.

As sucessivas e desgastantes votações em busca de um presidente da Câmara lembram um novo dia da marmota, como bem resumiu no plenário a deputada Kat Cammack, da Flórida. Sem comando, o partido que detém a maioria na Casa se arrisca à disrupção definitiva. Sem presidente da Câmara, não há atividades legislativas. É só bagunça.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-historico-caos-na-camara-dos-eua-apos-fracasso-republicano-em-eleger-presidente

G1 Mundo

O histórico caos na Câmara dos EUA após fracasso republicano em eleger presidente

Após duas sessões legislativas tensas, na terça e quarta-feira (03/01 e 04/01), o deputado republicano Kevin McCarthy, da Califórnia, não obteve votos necessários em seis rodadas de votação na sua tentativa de ganhar a presidência da Câmara. Na noite de quarta-feira, depois de um recesso para tentar resolver o impasse, a Câmara votou pelo adiamento da votação novamente, desta vez para esta quinta-feira (05/01) ao meio-dia. A mesma coisa já […]

today6 de janeiro de 2023 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%