G1 Mundo

OMS recomenda que China monitore excesso de mortalidade por Covid-19

today17 de janeiro de 2023 11

Fundo
share close

Depois de criticar Pequim pela falta de franqueza sobre a escala do surto da doença no país, a OMS disse no sábado que as autoridades chinesas forneceram informações sobre mortes hospitalares e atendimento ambulatorial que permitiram uma melhor compreensão da situação.




China tem quase 60 mil mortes por Covid em pouco mais de um mês

China tem quase 60 mil mortes por Covid em pouco mais de um mês

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta segunda-feira (16) que recomendou que a China monitore o excesso de mortalidade causada pela Covid-19 para obter uma imagem mais completa do impacto do aumento de casos da doença no país.

A China disse no sábado que quase 60.000 pessoas com Covid-19 morreram em hospitais desde que o país abandonou sua política de Covid zero no mês passado, um grande salto em relação aos números relatados antes de enfrentar críticas internacionais sobre seus dados da doença.

“A OMS recomenda o monitoramento do excesso de mortalidade, o que nos fornece uma compreensão mais abrangente do impacto da Covid-19″, disse a agência da ONU em um comunicado quando questionada sobre a China.

China registra 60 mil mortes por Covid em quase um mês — Foto: JN

“Isto é especialmente importante durante os períodos de surtos, quando o sistema de saúde está severamente limitado.”

A OMS acrescentou que não havia horário fixo para outra reunião com autoridades chinesas depois que o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, falou com Ma Xiaowei, diretor da Comissão Nacional de Saúde da China, no fim de semana, mas que continuaria trabalhando com a China para fornecer aconselhamento e apoio.

Depois de criticar Pequim pela falta de franqueza sobre a escala do surto da doença no país, a OMS disse no sábado que as autoridades chinesas forneceram informações sobre mortes hospitalares e atendimento ambulatorial que permitiram uma melhor compreensão da situação.

Lawrence Gostin, professor da Universidade Georgetown Law em Washington, que acompanha de perto a OMS, disse que a decisão da China de revelar mais dados se deve à “insistência da OMS“.

“Obter números de mortos mais precisos é revigorante”, disse ele. “Mas seria ainda mais importante obter GSD (dados de sequência genética) completos do vírus circulante na China. Essa é realmente a grande preocupação global.”

Newsletter G1 Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

jornal-aponta-possivel-elo-entre-george-santos,-deputado-americano-filho-de-brasileiros,-e-empresario-que-e-primo-de-oligarca-russo-alvo-de-sancoes

G1 Mundo

Jornal aponta possível elo entre George Santos, deputado americano filho de brasileiros, e empresário que é primo de oligarca russo alvo de sanções

O político republicano, que é filho de brasileiros, foi eleito em 2022 como congressista do estado de Nova York. Desde então, uma série de investigações revelou que Santos mentiu sobre diversos aspectos de seu currículo e sua vida pessoal. Agora, documentos levantados pelo jornal americano indicam que o empresário russo Andrew Intrater e sua esposa doaram US$ 5.800 a um comitê de campanha de Santos, além de terem contribuído com […]

today17 de janeiro de 2023 29

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%