G1 Mundo

ONG Médicos Sem Fronteiras diz que teve abrigo bombardeado por Israel no sul da Faixa de Gaza

today20 de fevereiro de 2024 4

Fundo
share close

A MSF é uma organização criada na década de 1970 que envia médicos para vários lugares do mundo com o objetivo de fornecer ajuda humanitária.

Presente na Faixa de Gaza, a MSF disse que o local atingido durante uma operação das forças de Israel abrigava equipes da organização e familiares.

“Equipes de ambulâncias chegaram ao local, onde pelo menos dois familiares de nossos colegas foram mortos e seis pessoas ficaram feridas. Estamos horrorizados com o que aconteceu”, afirmou.



Mais cedo, ainda nesta terça, a MSF divulgou um comunicado pedindo proteção e evacuação segura de pacientes do hospital Nasse, que fica em Khan Younis, na região sul de Gaza.

Segundo a organização, 130 pacientes e 15 profissionais de saúde continuam presos dentro do hospital sem eletricidade e com alimentação limitada desde um ataque conduzido na região por Israel, em 15 de fevereiro.

Israel informou que a operação dentro do hospital foi feita para resgatar corpos de reféns israelenses.

“Quatro dias após o ataque, MSF ainda não recebeu notícias de dois de nossos funcionários que estavam no hospital no momento do ataque. Um que está desaparecido, e outro que foi detido em um posto de controle pelas forças israelenses enquanto tentava deixar o hospital Nasser”, disse a MSF.

Israel está sob pressão de vários países para que haja um acordo de cessar-fogo na guerra contra o Hamas.

Aliado de Israel, os Estados Unidos também querem votar uma resolução no Conselho de Segurança das ONU propondo um cessar-fogo temporário na região. O texto está em negociação.

O projeto de resolução dos EUA prevê que o Conselho de Segurança “enfatize seu apoio a um cessar-fogo temporário em Gaza assim que possível, com base na fórmula de libertação de todos os reféns, e pede o levantamento de todas as barreiras à prestação de assistência humanitária em escala”.

Até agora, o governo dos EUA tinha sido avesso à palavra cessar-fogo em qualquer resolução da ONU sobre a guerra entre Israel e Hamas. No entanto, o governo norte-americano tem demonstrado preocupação em relação às ações de Israel no sul da Faixa de Gaza.

Na sexta-feira (16), o presidente Joe Biden disse que conversou com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pedindo por um cessar-fogo temporário.

Biden já havia pedido ao governo de Israel para não prosseguir com as ações militares em Rafah, no sul da Faixa de Gaza, sem um plano para proteger civis palestinos.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

eua-dizem-nao-concordar-com-fala-de-lula-comparando-ofensiva-de-israel-em-gaza-ao-holocausto

G1 Mundo

EUA dizem não concordar com fala de Lula comparando ofensiva de Israel em Gaza ao Holocausto

"Nós já fomos bastante claros ao dizer que não acreditamos que houve um genocídio na Faixa de Gaza. Queremos que o conflito acabe o mais rápido possível. Queremos que aumente a assistência humanitária para os civis. Mas não concordamos com esses comentários", disse Miller. Ele afirmou que os EUA e o Brasil se envolvem em conjunto em diversas questões e que isso não vai mudar. Ministro de Israel voltou ao […]

today20 de fevereiro de 2024 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%