G1 Mundo

Os marinheiros resgatados de ilha após escreverem ‘socorro’ na praia

today12 de abril de 2024 1

Fundo
share close

O resgate aconteceu nove dias depois de terem saído em viagem de barco ao atol Pikelot – uma ilha de coral desabitada a cerca de 650 quilômetros de Guam (território insular americano na Micronésia).

Eles foram dados como desaparecidos depois de demorarem para retornar da viagem. Essa é a segunda vez em quatro anos que pessoas são resgatadas da ilha.

A Guarda Costeira disse em um comunicado que os três marinheiros experientes, todos homens na faixa dos 40 anos, embarcaram em um tradicional esquife (um tipo de barco pequeno) motorizado no atol de Polowat no domingo de Páscoa.



O destino, o atol Pikelot, fica a cerca de 185 quilômetros de distância.

Como o grupo não retornou, um sobrinho dos homens alertou o Subcentro Conjunto de Resgate da Guarda Costeira em Guam que seus três tios estavam desaparecidos, desencadeando uma missão de busca e salvamento.

Marinheiros são resgatados de ilha da Micronésia após escreverem ‘socorro’ na praia. — Foto: Guarda Costeira dos Estados Unidos

Os marinheiros foram salvos pela Guarda Costeira americana. — Foto: Guarda Costeira dos Estados Unidos

A Micronésia, no oeste do oceano Pacífico, é um complexo formado por cerca de 600 pequenas ilhas espalhadas por uma vasta extensão oceânica. Elas são divididas em 6 países, entre eles os Estados Federados da Micronésia.

Os primeiros socorristas fizeram buscas em uma área gigantesca, com mais de 200 mil km², em más condições climáticas.

Então, do ar, eles avistaram os homens – graças ao sinal improvisado de socorro.

A Micronésia é um conjunto de ilhas no Pacífico — Foto: Getty Images/Via BBC

“Em um testemunho notável da vontade de serem encontrados, os marinheiros escreveram ‘socorro’ na praia usando folhas de palmeira, um fator crucial em sua descoberta”, disse a tenente Chelsea Garcia, que liderou a missão de busca e resgate no dia em que o grupo foi encontrado.

“Este ato de engenhosidade foi fundamental para orientar os esforços de resgate diretamente para a sua localização”, disse ela.

A Guarda Costeira local lançou pacotes de sobrevivência e um rádio para os homens enquanto um navio da Guarda Costeira dos EUA se dirigia para a ilha.

Mais tarde, os marinheiros responderam pelo rádio, disseram que estavam bem de saúde e que tinham acesso a comida e água, segundo a Guarda Costeira americana.

Os homens também disseram que precisavam de ajuda para voltar a Polowat e contaram que seu esquife havia sido danificado e não estava em condições de navegação.

Os marinheiros foram oficialmente resgatados da ilha no dia 9 de abril, nove dias depois do início da viagem.

A Guarda Costeira dos EUA disse que o resgate é um “exemplo da forte coordenação” entre o país e os Estados Federados da Micronésia, incluindo o pessoal da Marinha americana que está alocado na área.

“Cada vida salva e cada marinheiro que voltou para casa é uma prova da parceria duradoura e do respeito mútuo que caracteriza nosso relacionamento”, disse a tenente-comandante Christine Igisomar, que também fez parte da missão de busca e salvamento.

Embora desabitado, o Atol Pikelot é frequentemente visitado por caçadores e pescadores.

Em 2020, três marinheiros da Micronésia foram salvos – pelas Forças de Defesa Australianas – depois de escrevem “SOS” na praia.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

gleisi-hoffmann-vai-a-china-“aprofundar-parcerias”-com-partido-comunista

China

Gleisi Hoffmann vai à China “aprofundar parcerias” com Partido Comunista

A viagem da presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, a Pequim, acompanhada por uma delegação do partido, para se reunir com Li Xi, secretário do Partido Comunista da China (PCCh), marca um esforço para fortalecer os laços entre os dois partidos, que têm uma relação de 40 anos, segundo Gleisi. “Li reafirmou o compromisso da China em cooperar com o Brasil, promovendo intercâmbios e parcerias em diversas áreas […]

today11 de abril de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%