G1 Mundo

Ponte colapsada nos EUA: dois corpos são encontrados na água; navio passou por manutenção pouco antes do impacto, diz Guarda Costeira

today28 de março de 2024 6

Fundo
share close

Ronald Butler, da polícia do estado de Maryland, afirmou que as equipes de resgate localizaram uma picape vermelha na água perto da ponte, e que os mergulhadores descobriram dois corpos dentro do veículo. O carro estava a cerca de 7 metros de profundidade da superfície.

Os corpos retirados da água são dos seguintes homens:

  • Alejandro Hernandez Fuentes, de 35 anos, mexicano.
  • Dorlian Ronial Castillo Cabrera, de 26 anos, guatemalteco.



Além das duas pessoas que foram retiradas da água, outras quatro ainda estavam desaparecidas nesta quarta-feira. Segundo a polícia, há outros veículos no rio perto da ponte, mas os destroços da estrutura ao redor desses carros dificultam o acesso das equipes.

A polícia informou que as buscas foram suspensas na noite desta quarta devido às condições do local.

Os desaparecidos eram operários que trabalhavam numa manutenção no meio da ponte. As vítimas eram do México, Guatemala, Honduras e El Salvador, disse o coronel Roland L. Butler Jr., superintendente da Polícia Estadual de Maryland.

A temperatura em Baltimore na madrugada de terça, quando houve a batida, era de cerca de -1ºC, de acordo com a rede americana CNN. A temperatura da água é de cerca de 9ºC — capaz de provocar morte por hipotermia, a depender do tempo de exposição do indivíduo. O canal tem uma profundidade de até 15 metros e fortes correntes.

Não há expectativa de encontrar com vida as outras quatro pessoas desaparecidas. O contra-almirante da Guarda Costeira Shannon Gilreath disse na terça ao “New York Times” que não acredita mais que seja possível encontrar as pessoas vivas.

Duas pessoas foram resgatadas logo após o acidente, ambas com vida, e tiveram alta ainda na terça-feira.

O cargueiro que bateu na ponte, o Dali, tinha 23 pessoas no momento do acidente. O navio tinha 56 contêiners de materiais tóxicos, e uma parte vazou depois da queda da ponte.

O Conselho Nacional de Segurança nos Transporte dos EUA (NTSB, na sigla em inglês) afirmou que as investigações sobre o incidente devem demorar de um a dois anos para serem concluídas.

Ponte desmorona após ser atingida por navio nos EUA

Ponte desmorona após ser atingida por navio nos EUA

Durante esta madrugada, os mergulhadores que também buscavam por sobreviventes encontraram o gravador de dados da embarcação, segundo a diretora-geral do NTSB, Jennifer Homendy.

A partir desta quarta-feira, o NTSB, que comanda as investigações, analisará os dados. Homendy afirmou também que as equipes vão apurar se o uso de combustível impróprio pode ter afetado a queda de energia do navio.

A embarcação, um porta-contêiner com bandeira da Singapura, havia acabado de sair do porto de Baltimore e iria ao Sri Lanka.

Navio bateu contra ponte em Baltimore, nos EUA, causando o colapso da estrutura — Foto: NTSB via Reuters

A Ponte Francis Scott Key foi inspecionada pela última vez em maio de 2023, de acordo com a Administração Federal de Rodovias (AFR) dos EUA.

A superestrutura da ponte, uma parte de aço do vão, recebeu a nota 6 de 9, ou satisfatória, segundo dados de 2023 do Inventário Nacional de Pontes da agência AFR. A subestrutura da ponte, referente aos pilares e fundação, tinha a mesma condição satisfatória, o que significa “pequena deterioração”.

Inaugurada em 1977, a ponte tinha quase 3 quilômetros de extensão e quatro pistas, que ficavam cerca de 55 metros acima das águas. A estrutura também contava com uma ponte levadiça que dava acesso ao porto de Baltimore.

A ponte foi batizada com o nome do autor do poema que deu origem ao hino dos Estados Unidos. Segundo estudiosos, Francis Scott Key escreveu os versos após presenciar o bombardeio do Forte McHenry, em 1814, na região de Baltimore.

Imagem de arquivo mostra navio cargueiro passando por baixo da ponte Francis Scott Key, em Baltimore — Foto: Brendan Smialowski / AFP

O navio envolvido no acidente é um porta-contêiner com bandeira de Singapura e tinha como destino o Sri Lanka.

O cargueiro, batizado de Dali, tem 300 metros de comprimento e 48 de largura, de acordo com o site MarineTraffic.

Destroços da ponte Fancis Scott Key caem sobre a proa do porta-contêiner Dali após a colisão do navio contra a estrutura em Baltimore, nos EUA — Foto: Julia Nikhinson/Reuters

O navio era operado pela empresa Synergy e estava a serviço da companhia dinamarquesa Maersk, de acordo com a CNN. Segundo a operadora, nenhum membro da tripulação ficou ferido na colisão.

De acordo com a rede de TV ABC News, o navio perdeu propulsão enquanto manobrava para sair do porto.

Mapa mostra a localização da ponte Francis Scott Key, em Baltimore — Foto: Editoria de arte/g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

seis-opositores-do-regime-chavista-se-refugiam-na-embaixada-da-argentina-na-venezuela,-que-corta-a-luz-do-predio

G1 Mundo

Seis opositores do regime chavista se refugiam na embaixada da Argentina na Venezuela, que corta a luz do prédio

O gabinete da presidência de Javier Milei confirmou a informação na terça-feira (26) em um texto publicado na rede social X (o antigo Twitter). Nessa publicação afirma-se que a Argentina acolheu líderes políticos de oposição na embaixada argentina em Caracas "com o respaldo da inviolabilidade consagrada no artigo 22 da Convenção de Viena sobre relações diplomáticas, do qual ambas as nações, Argentina e Venezuela, são signatárias". O Ministério de Relações […]

today28 de março de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%