G1 Mundo

Ponte colapsada nos EUA: investigadores recuperam caixa-preta do navio e vão investigar combustível impróprio

today27 de março de 2024 5

Fundo
share close

A batida provocou o colapso total da ponte (veja vídeo acima).

Durante esta madrugada, os mergulhadores que também buscavam por sobreviventes encontraram o gravador de dados da embarcação, segundo a diretora-geral do Conselho Nacional de Segurança dos Transportes dos EUA (NTSB, na sigla em inglês), Jennifer Homendy.

A partir desta quarta, o NTSB, que comanda as investigações, analisará os dados. Homendy afirmou também que as equipes vão apurar se o uso de combustível impróprio pode ter afetado a queda de energia do navio.



A embarcação, um porta-contêiner com bandeira da Singapura, havia acabado de sair do porto de Baltimore e iria ao Sri Lanka. Minutos antes do choque com a ponte, no entanto, o comandante reportou ter pedido o controle do navio.

Navio bateu contra ponte em Baltimore, nos EUA, causando o colapso da estrutura — Foto: NTSB via Reuters

Também nesta quarta, autoridades retomaram as buscas por desaparecidos, que haviam sido interrompidas durante a noite de terça.

As únicas duas pessoas que foram resgatadas após o acidente, ambas com vida, tiveram alta nesta terça-feira. Outras seis pessoas ainda estava desaparecidas nesta quarta-feira.

Os seis desaparecidos são operários que trabalhavam numa manutenção no meio da ponte. Jeffrey Pritzker, vice-presidente da empresa responsável pelos trabalhadores, disse à AP considerar improvável que o grupo esteja vivo, considerando o tempo passado desde o acidente e a temperatura da água.

A temperatura em Baltimore na madrugada de terça, quando houve a batida, era de cerca de -1ºC, de acordo com a rede americana CNN. A temperatura da água é de cerca de 9ºC — capaz de provocar morte por hipotermia, a depender do tempo de exposição do indivíduo. O canal tem uma profundidade de até 15 metros e fortes correntes.

Bombeiros também usaram drones com câmeras infravermelhas e sonares nas buscas. Segundo o presidente dos EUA, Joe Biden, não há indícios de que a batida tenha sido intencional.

Destroços da ponte Fancis Scott Key caem sobre a proa do porta-contêiner Dali após a colisão do navio contra a estrutura em Baltimore, nos EUA — Foto: Julia Nikhinson/Reuters

O navio envolvido no acidente é um porta-contêiner com bandeira de Singapura e tinha como destino o Sri Lanka.

O cargueiro, batizado de Dali, tem 300 metros de comprimento e 48 de largura, de acordo com o site MarineTraffic.

O navio era operado pela empresa Synergy e estava a serviço da companhia dinamarquesa Maersk, de acordo com a CNN. Segundo a operadora, nenhum membro da tripulação ficou ferido na colisão.

Segundo o FBI e o secretário nacional de Segurança Interna, Alejandro Mayorkas, não há indicativo de ato terrorista no incidente, nem de que ele teria sido intencional. De acordo com a rede de TV ABC News, o navio perdeu propulsão enquanto manobrava para sair do porto.

Mapa mostra a localização da ponte Francis Scott Key, em Baltimore — Foto: Editoria de arte/g1

Imagem de arquivo mostra navio cargueiro passando por baixo da ponte Francis Scott Key, em Baltimore — Foto: Brendan Smialowski / AFP

Inaugurada em 1977, a ponte tinha quase 3 quilômetros de extensão e quatro pistas, que ficavam cerca de 55 metros acima das águas. A estrutura também contava com uma ponte levadiça que dava acesso ao porto de Baltimore.

A ponte foi batizada com o nome do autor do poema que deu origem ao hino dos Estados Unidos. Segundo estudiosos, Francis Scott Key escreveu os versos após presenciar o bombardeio do Forte McHenry, em 1814, na região de Baltimore.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

camisas-de-futebol,-selfie-‘unidos-pela-amazonia’-e-anuncio-de-bilhoes-em-investimentos:-o-primeiro-dia-de-macron-no-brasil

G1 Mundo

Camisas de futebol, selfie ‘unidos pela Amazônia’ e anúncio de bilhões em investimentos: o primeiro dia de Macron no Brasil

Na pequena bolsa de palha entregue ao presidente francês havia três camisas: uma tradicional camisa do Marajó, produzida no estado do Pará, e duas dos principais times de futebol paraense – Remo e Paysandu. Presidente da França, Emmanuel Macron, e governador do Pará, Helder Barbalho — Foto: Instagram/Reprodução Emmanuel Macron e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estiveram juntos nesta terça-feira na cidade que vai receber a Conferência do […]

today27 de março de 2024 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%