Pleno News

Por muito menos Bolsonaro está inelegível. E agora, TSE?

today2 de maio de 2024 10

Fundo
share close

Rafael Satiê – 02/05/2024 13h27

Presidente Lula e Guilherme Boulos, em comemoração ao 1º de Maio Foto: Ricardo Stuckert / PR

Na política brasileira, a parcialidade da Justiça eleitoral já se tornou habitual. O papel do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como guardião das eleições é essencial para assegurar que os pleitos ocorram de maneira justa e equânime, evitando que manipulações e vantagens indevidas comprometam a democracia. Entretanto, um episódio recente levantou mais dúvidas sobre a isenção deste órgão.

Nesta quarta feira, 1º de maio, Dia do Trabalhador, o atual presidente do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva, participou de um ato em São Paulo onde, segundo relatos, infringiu as normas eleitorais ao pedir votos para o pré-candidato a prefeito de São Paulo, Guilherme Boulos. Esse ato poderia ser considerado uma antecipação ilícita da campanha eleitoral, prática vedada pela legislação brasileira.

A pergunta que se impõe é: como o TSE lidará com essa situação? Em tempos recentes, o ex-presidente Jair Bolsonaro enfrentou severas restrições e punições por parte do TSE, incluindo a discussão sobre sua inelegibilidade. Essas ações foram justificadas pelo TSE como necessárias para manter a integridade e a equidade do processo eleitoral.

Contudo, percebe-se uma disparidade de tratamento que merece ser questionada. Em 2022, observou-se que o TSE tendeu a acatar mais pedidos provenientes da campanha de Lula em detrimento dos que vieram da campanha de Bolsonaro. Este fato levanta questões sobre um possível viés partidário dentro do tribunal, sugerindo que a balança da justiça eleitoral pode estar desequilibrada.



O que muitos se perguntam é se existe um peso diferente aplicado às infrações cometidas por políticos de espectros ideológicos opostos. Enquanto políticos de esquerda, como Lula, parecem ter certa leniência em suas ações, figuras de direita, como Bolsonaro, têm sido alvo de rigor extremo.

É crucial para a saúde da democracia brasileira que o TSE atue de forma equânime e rigorosa com todos os políticos, independentemente de sua filiação partidária. Afinal, se a confiança no sistema eleitoral se erode, toda a estrutura democrática pode ser colocada em risco.

Portanto, resta ao TSE não apenas ser o guardião das eleições, mas também o guardião da imparcialidade. A igualdade de condições deve prevalecer para que o eleitorado possa ter plena confiança no processo eleitoral. E agora, TSE, como procederemos?

Rafael Satiê é analista político, especialista em Comunicação e diretor de Marketing.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Leia também1 Lula comete crime eleitoral explícito em ato do 1º de Maio

2 Guilherme Boulos promete barrar privatização da Sabesp se eleito

3 Deltan cita caso Bolsonaro no TSE e cobra inelegibilidade de Lula

4 Governo apaga vídeo de Lula pedindo voto a Boulos em SP

5 Show em que Lula pediu voto a Boulos teve recursos da Rouanet

Siga-nos nas nossas redes!

O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Pleno News.

Por: Rafael Satie

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

funcionarios-da-limpeza-protestam-apos-prefeitura-de-cubatao-encerrar-contrato-com-terceirizada

G1 Santos

Funcionários da limpeza protestam após Prefeitura de Cubatão encerrar contrato com terceirizada

A concentração começou, por volta de 10h, na sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação da Baixada Santista (Sindilimpeza) em Cubatão, localizada na Avenida Doutor Fernando Costa, 389, bairro Vila Couto. De lá, os manifestantes fizeram uma passeata até a Prefeitura de Cubatão. A presidente do Sindicato, Paloma dos Santos, afirmou que há cerca de 300 trabalhadores de limpeza e serviços de apoio desamparados desde a […]

today2 de maio de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%