G1 Santos

Porto de Santos volta a ter Grupamento de Fuzileiros Navais

today11 de janeiro de 2024 1

Fundo
share close

O Porto de Santos, no litoral de São Paulo, voltou a contar com a participação de um Grupamento de Fuzileiros Navais. O grupo, que faz parte da Marinha do Brasil e é responsável pela segurança nacional e ao combate ao tráfico de drogas e arma, deixou de atuar em Santos em 1976 e, agora, foi reativado.

A cerimônia de ativação do Grupamento de Fuzileiros Navais de Santos (GptFNSantos) ocorreu na última quarta-feira (10), na sede do grupamento, localizado na Avenida Afonso Pena, em Santos. A solenidade contou com a presença de autoridades da Marinha e do prefeito da cidade, Rogério Santos.

Sob o comando do Capitão de Fragata, Eric Ricardo de Souza, o objetivo do grupo é ampliar a capacidade operativa na área de jurisdição do Comando do 8º Distrito Naval, fortalecendo as operações de fuzileiros navais, cooperação com órgãos federais, defesa dos portos e ações de garantia da defesa e da ordem (GLO).



O Porto de Santos, o maior da América Latina, tem localização estratégica na entrada e saída de diversas mercadorias para o Brasil e para o mundo. Por isso, esse reforço na segurança territorial se faz importante.

De 1963 a 1976, o Grupamento de Fuzileiros Navais de Santos funcionou na cidade, mas acabou sendo fechado por questões orçamentárias. Nessa nova fase, o grupo, integrante da Marinha do Brasil, terá seu efetivo aumentado, gradativamente, de 56 para 158 militares.

Cerimônia de posse do Capitão de Fragata Eric Ricardo de Souza, comandante do Grupamento de Fuzileiros Navais de Santos (GptFNSantos) — Foto: Foto: Divulgação: Isabela Carrari/Prefeitura de Santos

G1 em 1 minuto - Santos: Cetesb aprova licença de Unidade de Recuperação Energética

G1 em 1 minuto – Santos: Cetesb aprova licença de Unidade de Recuperação Energética




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

agencia-dos-eua-notifica-boeing-e-diz-que-incidente-em-737-max-9-com-porta-que-abriu-‘nunca-deveria-ter-acontecido-e-nao-pode-acontecer-novamente’

G1 Mundo

Agência dos EUA notifica Boeing e diz que incidente em 737 Max 9 com porta que abriu ‘nunca deveria ter acontecido e não pode acontecer novamente’

Boeing 737 Max 9 da Alaska Airlines teve a porta arrancada na última sexta-feira em Portland, nos EUA. Desde então, aviões desse modelo estão proibidos de voar em todo o mundo, até que portas sejam inspecionadas. FAA (agência de aviação civil dos EUA) informou que a segurança de voo, e não a pressa, que vai determinar o retorno dos Max 9.

today11 de janeiro de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%