G1 Mundo

Presidente Boluarte invoca pacto de reconciliação no Peru em meio a protestos em Lima

today28 de julho de 2023 5

share close

Boluarte, que assumiu o poder em 7 de dezembro após a destituição e prisão do então mandatário, Pedro Castillo, pediu perdão pelas dezenas de vítimas, entre mortos e feridos, registradas nos protestos que eclodiram após a queda de seu antecessor.

“Com profunda e dolorosa consternação, peço perdão, em nome do Estado, aos familiares de todos os falecidos, civis, policiais e militares”, assinalou a presidente.

Boluarte se dirigiu à nação por mais de três horas na sede do Parlamento, sob forte esquema de segurança, devido às marchas convocadas por grupos de esquerda aos gritos de “Dina, o povo lhe repudia”.



Em meio à mobilização de dezenas de manifestantes, Boluarte pediu um pacto de “reconciliação por vida, paz, justiça e igualdade”.

“Chamo à grande reconciliação nacional entre todos os peruanos, com a certeza de que nenhuma diferença ideológica ou de opinião, por mais profunda e intensa que seja, pode nos levar a conviver em uma sociedade de inimigos”, insistiu a presidente.

– Expulsão de estrangeiros -Boluarte, que em princípio governará até 2026, após a rejeição do Congresso de antecipar as eleições, prometeu justiça pela morte de opositores durante os protestos que comoveram o país entre dezembro e fevereiro.

“Não haverá impunidade para ninguém neste caso”, indicou taxativamente a presidente.

Segundo a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), durante as últimas manifestações, a polícia se excedeu no uso da força e supostamente cometeu execuções. Cerca de 50 pessoas morreram, a maioria por fogo real, na região de Puno, perto da fronteira com a Bolívia.

Nesta sexta, grupos de manifestantes voltaram a clamar por justiça.

“Massacraram meu filho de apenas 18 anos […] Estamos aqui para exigir justiça, mas não vamos tê-la se esta senhora não sair”, disse à AFP Rosa Luque, mãe de Heliot Arizaca, uma das vítimas da repressão na cidade de Juliaca, em Puno.

As marchas se concentraram no entorno do Congresso, e tiveram menor adesão que as de quarta-feira, quando a oposição retomou os protestos contra o governo depois de cinco meses.

Entretanto, em sua mensagem à nação, Boluarte também colocou ênfase no combate à insegurança e pediu ao Congresso que lhe dê faculdades extraordinárias para expulsar os estrangeiros envolvidos em crimes, em alusão especial aos venezuelanos que, segundo as autoridades, comandam o crime organizado.

“Vamos incorporar, no Código Penal, […] a figura da expulsão, em casos de flagrante. Assim, cobriremos um vazio que existia em nossa legislação”, frisou Boluarte.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Mundo

Governador da Flórida agora briga contra Bud Light

Enquanto o governador da Flórida, Ron DeSantis, tenta redefinir sua frágil campanha presidencial, uma característica fundamental da candidatura do republicano permanece constante: sua disposição de antagonizar com corporações em questões culturais e políticas. Na semana passada, DeSantis ordenou que autoridades da Flórida abrissem uma investigação sobre a empresa proprietária da cerveja Bud Light por preocupações de que ela violou seus deveres com os acionistas ao se envolver em um acordo de marketing com uma "influencer" transgênero que desencadeou um boicote de […]

today28 de julho de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%