G1 Santos

Prisão de Robinho gera debate sobre a violência sexual no esporte; especialistas destacam ambiente de poder e impunidade

today23 de março de 2024

Fundo
share close

O g1 ouviu advogadas que defendem mulheres vítimas de violência sexual para entender por que profissionais que atuam no meio esportivo têm se envolvido em escândalos dessa natureza: estupro, assédio e importunação sexual.

As advogadas Laura Cardoso, Carol Valentino e Ana Carolina Candido Alves à equipe de reportagem demonstraram encarar da mesma forma o tema. O primeiro ponto de consenso, em relação o que motivaria os casos está, segundo elas, na condição financeira favorável e contatos desses homens. As profissionais destacam o poder e a crença na impunidade.

“É um suspiro de alívio diante de tudo que a gente vê na realidade. E de entender que, sim, o judiciário pode funcionar”, apontou Laura.



Robinho durante audiência de custódia em Santos, antes de ser transferido para a Penitenciária em Tremembé — Foto: Jornal Nacional/Reprodução

A advogada explicou que parte da sociedade tem em mente uma ideia do que seria considerado violência sexual. Assim, outras situações que não se enquadram nesse “padrão” acabam sendo normalizadas, o que ajuda a perpetuar a “cultura do estupro”.

Laura compreende que jogadores de futebol, assim como atletas de outras modalidades, costumam ter uma ascensão social muito rápida, o que pode mexer com o psicológico deles. A também advogada Carol Valentino, segue a mesma linha de raciocínio e entende que existe uma cobrança social grande para a pratica da ostentação.

Ela cita como exemplo as festas rodeadas de bens caros e mulheres, o que reforça a ideia de enxergá-las como propriedade. “Acaba dando uma interpretação de que o dinheiro dá liberdade para ele fazer o que ele quiser. E isso se confunde muito com essa questão da cultura do estupro, da deslegitimização, por exemplo, de mulheres que trabalham com a prostituição”, disse Carol.

Gravações do caso Robinho: “A mulher estava completamente bêbada”

Gravações do caso Robinho: “A mulher estava completamente bêbada”

Carol citou um áudio de Robinho (presente no vídeo acima) para reforçar o posicionamento sobre a postura desses atletas. O trecho destacado por ela, de uma ligação grampeada do ex-jogador, foi usado pela Justiça italiana durante o processo de investigação, que levou à condenação.

“No próprio áudio do Robinho, ele diz: ‘Imagina, fazer com que ela faça um sexo oral em mim não é transar. Isso não é estupro’. Em nenhum momento ele nega as questões que ele teria feito com ela, de cunho sexual. Ele diz que ele não estuprou. Só que ele não entende que isso é estupro”.

Julgamento de Daniel Alves — Foto: Alberto Estevez/Reuters

Robinho não é primeiro esportista a se envolver em crimes sexuais, dentro e fora de território brasileiro. Como citado anteriormente, Daniel Alves foi condenado a quatro anos e meio de prisão por estuprar uma mulher na Espanha.

Cuca — Foto: Jornal Nacional/Reprodução

O treinador Alexi Stival, o Cuca, que está no comando do Athletico-PR, foi condenado por ter estuprado, à época, uma adolescente de 13 anos durante uma excursão do Grêmio à Suíça, em 1987. O Tribunal de Berna, no entanto, anulou a sentença que havia condenado o técnico.

Ele não foi inocentado, o Ministério Público daquele país alegou que o crime estava prescrito e, por não poder ter um novo julgamento, se deu a anulação da pena e extinção do processo.

Escândalos estão mais frequentes?

Para a advogada Ana Carolina Candido Alves, alguns fatores ajudam na visibilidade desse tipo de caso, que acaba repercutindo na mídia.

“Sempre existiu. Hoje, a pressão da mídia, somada com a coragem dessas mulheres de virem falar de suas dores, está refletindo nas instituições e evitando a violência institucional. Falo isso em casos que se assemelham a famosos, pois, quando se trata de [predadores] anônimos a violência constitucional continua prevalecendo”, opinou.

Ela ressaltou que as vítimas são revitimizadas “da forma mais cruel e imaginável” em casos de violência sexual. Todas precisam de apoio de amigos e familiares para passarem por essa situação, mas em casos de repercussão nacional é fundamental ter uma assessoria jurídica para ajudar nos posicionamentos nos meios de comunicação.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

estado-islamico-reivindica-atentado-que-deixou-mais-de-60-mortos-em-casa-de-shows-em-moscou

G1 Mundo

Estado Islâmico reivindica atentado que deixou mais de 60 mortos em casa de shows em Moscou

A informação foi divulgada pela agência de notícias Reuters, que também publicou que serviços de inteligência dos Estados Unidos confirmaram que o Estado Islâmico foi responsável pelo ataque. Um porta-voz do comitê de investigações da Rússia afirmou que ainda é muito cedo para saber o que aconteceu com os executores do atentado, de acordo com a agência de notícias estatal RIA. De acordo com o jornal americano "Washington Post", autoridades […]

today22 de março de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%