Gospel Prime

Quase metade dos millennial acredita que o “errar o gênero” deveria ser considerado crime

today18 de julho de 2023 3

Fundo
share close

Uma pesquisa, realizada em 6 de julho pela Redfield and Wilson Strategies em nome da Newsweek, descobriu que quase metade dos millennials , aqueles com idades entre 25 e 34 anos, acredita que “misgendering” (usar pronomes de gênero incorretos para se referir a alguém) deveria ser considerado crime.

Nesse sentido, os dados apontam que 44% dos entrevistados millennials acham que “se referir a alguém com o pronome de gênero errado (ele/ela) deveria ser considerado crime”, enquanto 31% discordam dessa afirmação. Os outros 25% dos entrevistados millennials disseram que “nem concordam nem discordam” ou “não sabem” suas opiniões sobre o assunto.

Além disso, 38% daqueles com idades entre 35 e 44 anos também acreditam que o misgendering deveria ser ilegal, em contraste com os 35% nessa mesma faixa etária que discordam. Entre todos os americanos, apenas 19% acreditam que o “misgendering” deveria ser considerado crime, enquanto 65% discordam.

Sendo assim, a Geração Z em idade de votar, entre 18 e 24 anos, apenas 33% acham que “misgendering” deveria ser ilegal, enquanto quase metade (48%) discorda. No geral, 37% dos 1.500 entrevistados disseram que chamariam alguém do sexo masculino pelos pronomes “ela/dela” se solicitado, 17% disseram que persistiriam em usar os pronomes que correspondem à aparência anatômica da pessoa.

Segundo Faith Wire, esses dados surgem à medida que essa questão está causando um aumento de tensões culturais nos EUA e em outros lugares. No início deste mês, um distrito escolar na Califórnia chamou a atenção por supostamente suspender dois estudantes do ensino médio por alegações de “misgendering”. Os estudantes foram obrigados a passar por um treinamento de “justiça restaurativa”.






Todos os créditos desta notícia pertecem a Gospel Prime.

Por: Redacao

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

clinicas-em-escolas-dos-eua-oferecem-“cuidados-de-afirmacao-de-genero”

Gospel Prime

Clínicas em escolas dos EUA oferecem “cuidados de afirmação de gênero”

Instalações de saúde localizadas em pelo menos duas escolas públicas em Seattle, Washington, estão fornecendo “cuidados de afirmação de gênero” aos estudantes, enquanto os funcionários escolares são instruídos a não informar os pais caso seus filhos se identifiquem como o sexo oposto. De acordo com The Christian Post, em uma postagem de blog na terça-feira, o grupo de defesa Parents Defending Education compartilhou capturas de tela que documentam como os […]

today18 de julho de 2023 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%