G1 Mundo

Rússia e Ucrânia realizam 1ª troca de prisioneiros em 5 meses; mais de 400 são libertados

today3 de janeiro de 2024 12

Fundo
share close

Apesar da falta de diálogo sobre como acabar com a guerra, a Ucrânia e a Rússia realizaram muitas trocas de prisioneiros desde os primeiros meses da invasão russa.


Os dois países fizeram uma troca de prisioneiros de guerra



A Ucrânia e a Rússia anunciaram nesta quarta-feira (3) a sua primeira troca de prisioneiros de guerra em quase cinco meses, com mais de 200 libertados de cada lado, após o que Moscou considerou ser uma negociação complexa envolvendo a mediação dos Emirados Árabes Unidos.

  • O Ministério da Defesa da Rússia disse que 248 militares russos foram entregues pela Ucrânia.
  • O governo da Ucrânia disse que 230 pessoas ( 224 soldados e seis civis) que lutavam pelo país foram libertadas.

Essa foi a maior troca de tropas documentada até o momento.

O centro de coordenação de prisioneiros de guerra da Ucrânia também reconheceu brevemente o papel dos Emirados Árabes Unidos no intercâmbio, sem fornecer detalhes.

Apesar da falta de qualquer diálogo sobre como acabar com a guerra de 22 meses, Kiev e Moscou realizaram muitas trocas de prisioneiros desde os primeiros meses da invasão russa em fevereiro de 2022.

A taxa das trocas, no entanto, caiu em 2023 e a última ocorreu no início de agosto.

Ataque russo a grandes cidades da Ucrânia deixa cinco mortos

Ataque russo a grandes cidades da Ucrânia deixa cinco mortos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

justica-da-argentina-suspende-reforma-trabalhista-prevista-no-‘decretaco’-de-milei

G1 Mundo

Justiça da Argentina suspende reforma trabalhista prevista no ‘decretaço’ de Milei

As alterações nas regras trabalhistas que Milei quer implementar foram consideradas polêmicas no país. Entre as mudanças que mais desagradaram as centrais sindicais estão o aumento do período de experiência para 8 meses, a participação em manifestações como motivo legal para demissões e mudanças no sistema de indenizações dos profissionais que saem de uma empresa. A decisão da Justiça do Trabalho é cautelar. Há uma discussão ainda sobre qual é […]

today3 de janeiro de 2024 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%