G1 Mundo

Se Hamas não libertar reféns, Israel diz que invadirá Rafah durante o Ramadã; período sagrado aos muçulmanos começa em março

today20 de fevereiro de 2024 3

Fundo
share close

Israel ameaçou invadir Rafah no período do Ramadã, caso o Hamas não liberte os reféns que mantém em seu poder desde o início da guerra, em 7 de outubro de 2023. O período sagrado aos muçulmanos começa em 10 de março.

“O mundo deve saber, e os líderes do Hamas devem saber: se até o Ramadã os nossos reféns não estiverem em casa, os combates continuarão em todas as partes, incluindo a área de Rafah”, declarou o ministro sem pasta Benny Gantz, durante uma conferência de líderes judeus americanos em Jerusalém.

“O Hamas tem a escolha. Eles podem render-se, libertar os reféns e os civis de Gaza poderão celebrar o Ramadã”, acrescentou Gantz, um dos três membros do gabinete de guerra de Israel.



Vale lembrar que há aproximadamente 1,5 milhão de palestinos — em sua maioria são muçulmanos — em Rafah.

Imagem aérea da cidade de Rafah, no Egito, em 14 de janeiro de 2024. — Foto: Planet Labs PBC via AP

Esta é a primeira vez que o governo israelense estabelece um prazo para o ataque a Rafah. A região é a última cidade da Faixa de Gaza que não foi invadida por tropas terrestres desde o início do conflito.

Apesar da pressão internacional, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, insiste que a guerra não pode terminar sem a entrada em Rafah.

Gantz acrescentou que a ofensiva acontecerá de maneira coordenada com Estados Unidos e Egito para possibilitar a retirada dos civis — até o momento não foi detalhado como isso será feito.

O governo dos Estados Unidos, principal aliado de Israel, pressiona por uma trégua de seis semanas em troca da libertação de 130 reféns que Israel acredita que continuam em Gaza, incluindo 30 que estariam mortos.

Quase 250 pessoas foram sequestradas em 7 de outubro, quando combatentes do Hamas executaram um ataque sem precedentes contra Israel que deixou 1.160 mortos, segundo um balanço da AFP baseado em números do governo israelense.

A resposta militar de Israel deixou pelo menos 28.858 mortos, a maioria mulheres, adolescentes e crianças, segundo o Ministério da Saúde de Gaza, território governado pelo Hamas.

O Conselho de Segurança da ONU pretende discutir esta semana uma nova resolução para exigir um cessar-fogo em Gaza — mas os Estados Unidos já antecipou que pode vetar o texto por considerar mais conveniente um acordo negociado de trégua com uma troca de reféns.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

galpoes-atingidos-por-incendio-de-mais-de-30-horas-no-litoral-de-sp-nao-tem-avcb,-diz-corpo-de-bombeiros

G1 Santos

Galpões atingidos por incêndio de mais de 30 horas no litoral de SP não têm AVCB, diz Corpo de Bombeiros

O incêndio começou, por volta de 23h40 de domingo (18), em galpões da Dínamo Inter-Agrícola, entre a Rua João Pessoa e a General Câmara. Pelo menos 10 viaturas do Corpo de Bombeiros de Santos, São Vicente e Cubatão foram para o local apagar as chamas, que não têm previsão para serem extintas. O AVCB é o documento que atesta que a edificação está de acordo com a legislação estadual de […]

today20 de fevereiro de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%