G1 Mundo

‘Sempre me senti diferente do resto da família’, diz príncipe Harry

today5 de março de 2023 8

Fundo
share close

Em uma conversa sobre luto, o duque de Sussex disse que temia perder as memórias que tinha de Diana quando começou a fazer terapia.

Ele também afirmou que faz questão de “sufocar” seus filhos com carinho para evitar transmitir “traumas” ou “experiências negativas” de sua própria criação.

Harry falou sobre estes temas com o médico Gabor Maté, autor de livros sobre trauma.



A conversa tratou de pontos que Harry aborda em seu livro de memórias Spare (O que Sobra, na edição em português).

Refletindo sobre a resposta do público ao trabalho, o duque de Sussex insistiu não ser uma “vítima” ou buscar conquistar simpatia.

Ele revelou que sua própria reação à publicação do polêmico livro foi se sentir “incrivelmente livre”.

“Senti um peso enorme sair de cima dos meus ombros”, disse, descrevendo o livro como um ato para ajudar a quebrar o tabu de se falar sobre saúde mental.

O príncipe disse que conviver com Meghan Markle é um ‘curso intensivo’ sobre a experiência do racismo — Foto: Getty Images

‘A discussão focou nas emoções, na terapia e nos pensamentos do príncipe sobre saúde mental.

Mas não entrou em revelações reais recentes, como o pedido de Harry e sua esposa Meghan Markle para que desocupem a residência real Frogmore Cottage – ou se ele compareceria ou não à coroação de seu pai.

Também não houve menções sobre como a família real, incluindo seu irmão, se sentiu sobre seu livro de memórias.

O príncipe Harry disse que, durante sua criação, ele se sentiu “um pouco diferente do resto da minha família” e que tinha a sensação de viver em uma “bolha”, que a terapia o ajudou a estourar.

Ele foi questionado sobre como foi viver uma infância marcada pelo distanciamento emocional e a falta de abraços e de demonstrações de afeto.

Ele disse que, com seus próprios filhos, estava “se certificando de sufocá-los com amor e carinho”.

“Como pai, sinto uma grande responsabilidade em garantir que não transmita nenhum trauma ou… experiências negativas que tive quando criança”, disse.

Ele falou várias vezes sobre a importância da terapia, mesmo que isso pudesse criar uma barreira entre ele e outros parentes.

Harry afirmou que temia erroneamente que isso pudesse corroer seus sentimentos por sua mãe, que morreu em um acidente de carro em Paris em 1997, quando ele tinha 12 anos.

“Uma das coisas que mais me assustava era perder o que sentia pela minha mãe… o que quer que eu conseguisse segurar da minha mãe”, disse.

Mas ele não perdeu esses sentimentos e percebeu “que, na verdade, ela só queria que eu fosse feliz”, disse.

O príncipe disse que conviver com Meghan Markle é um ‘curso intensivo’ sobre a experiência do racismo — Foto: PETER NICHOLS

O príncipe falou sobre ser “eternamente grato” por sua esposa Meghan mudar sua perspectiva, chamando-a de “ser humano excepcional”.

Mas ele disse que conviver com Meghan lhe proporcionou um “curso intensivo” sobre a experiência do racismo, que ele descreveu como “bastante chocante”.

Harry também defendeu o uso de remédios psicodélicos, dizendo que isso o ajudou a “lidar com os traumas e dores do passado” e foi como a “limpeza do para-brisa”.

Ele disse que usar cocaína “não ajudou em nada”, mas que “a maconha é diferente, na verdade me ajudou muito”.

Harry falou sobre o Afeganistão, onde serviu por duas vezes, dizendo que nem todos os soldados britânicos concordavam com a guerra.

“Uma das razões pelas quais tantas pessoas no Reino Unido não apoiaram nossas tropas foi porque presumiram que todos os que estavam servindo eram a favor da guerra. Mas não, uma vez que você se inscreve, você faz o que lhe dizem para fazer”, afirmou.

“Portanto, muitos de nós não necessariamente concordamos ou discordamos, mas você faz o que foi treinado para fazer. Você faz o que foi enviado para fazer.”

Para assistir à entrevista online, o público teve que comprar uma cópia do livro de memórias de Harry, que foi parar nas manchetes com seu relato sem precedentes de tensões entre a realeza e revelações pessoais.

A obra inclui alegações de uma briga física com seu irmão, o príncipe William, e experiências de uso de drogas e perda da virgindade.

– Texto originalmente publicado em https://www.bbc.com/portuguese/articles/c3gjl72x3kzo




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

‘esse-feto-poderia-ter-sido-seu-filho’:-os-obstaculos-que-argentinas-enfrentam-para-fazer-aborto-legal

G1 Mundo

‘Esse feto poderia ter sido seu filho’: os obstáculos que argentinas enfrentam para fazer aborto legal

No posto de saúde onde foi buscar atendimento, ela conta que ouviu um médico dizer a uma colega: "Quando essas meninas vão aprender a ficar com as pernas fechadas?". Maria mora em Salta, uma Província religiosamente conservadora no noroeste da Argentina, onde muitos profissionais de saúde ainda são contra o aborto. Ela acabou recebendo uma pílula para interromper a gravidez, mas ela diz que as enfermeiras relutaram em tratá-la e […]

today5 de março de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%