G1 Mundo

Singapura executa uma mulher pela primeira vez em quase duas décadas

today28 de julho de 2023 8

share close

Segundo o divulgado pelo Departamento Central de Narcóticos, a mulher era natural do país e tinha 45 anos.


Cingapura — Foto: Jamie Freed/Reuters



Uma mulher foi executada em Singapura nesta sexta-feira (28) após ser condenada à morte por tráfico de drogas em 2018. Segundo o divulgado pelo Departamento Central de Narcóticos, a mulher, identificada como Saridewi Binte Djamani, era natural do país e tinha 45 anos.

De acordo com o jornal The Guardian, ela foi a primeira mulher a ser executada em quase 20 anos. Acredita-se que ela seja a primeira mulher executada em Singapura desde 2004, quando uma cabeleireira de 36 anos foi enforcada por tráfico de drogas.

Também segundo o Guardian, a mulher disse que não foi capaz de dar declarações precisas à polícia porque estava sofrendo de abstinência de drogas na época. No entanto, isso foi rejeitado por um juiz do tribunal superior que concluiu que ela tinha “no máximo sofrido de leve a moderada abstinência de metanfetamina durante o período de tomada de depoimentos” e que isso não prejudicou sua capacidade.

A Comissão Global sobre Políticas de Drogas, a Federação Internacional de Direitos Humanos e a Anistia Internacional pediram ao governo de Singapura que suspendesse a execução.

Saridewi é a segunda pessoa a ser executada esta semana e a 15ª desde que o governo retomou as execuções em março de 2022. As execuções foram interrompidas por dois anos durante a pandemia, quando realizava-se uma média de uma por mês, dizem ativistas.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

G1 Mundo

Líder do Grupo Wagner oferece mercenários para ajudar governo militar de Níger

O líder do Grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, saudou o golpe militar ocorrido no Níger nesta quarta-feira (26) e ofereceu os seus serviços para ajudar o novo governo a controlar a situação nacional e "trazer a ordem." Prigozhin, em sua mensagem de voz ouvida pela Reuters, gabou-se da suposta eficiência de Wagner em ajudar as nações africanas a se estabilizar e se desenvolver no que parecia ser um discurso de vendas. "Milhares de combatentes de Wagner são capazes de trazer ordem […]

today28 de julho de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%