G1 Mundo

STJ mantém prisão de suposto espião russo que atuava no Brasil

today20 de julho de 2023 8

Fundo
share close

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Maria Thereza de Assis Moura, negou na quarta-feira (19) um pedido de liberdade apresentado por Sergey Vladimirovich Cherkasov, cidadão russo apontado por autoridades como espião.

Em abril de 2022, Cherkasov foi detido na Holanda ao tentar entrar no país com um passaporte brasileiro em nome de Viktor Muller Ferreira. Segundo as autoridades holandesas, o russo planejava trabalhar no Tribunal Penal Internacional, em Haia, para investigar supostos crimes de guerra cometidos na Ucrânia.

Ele foi deportado para o Brasil após os serviços de inteligência da Holanda identificarem que ligação com o serviço da GRU, órgão de espionagem dos militares russos.



De acordo com o MPF, entre 2012 e 2022, Cherkasov usou documentos em nome de Viktor Muller Ferreira para entrar e sair do Brasil por 15 vezes.

A primeira entrada do cidadão russo no Brasil aconteceu em 2010, ainda com a sua documentação original. Pouco depois, deixou o país já usando documentos em nome de Ferreira.

Ao STJ, a defesa do suposto espião russo argumentou que ele aguarda julgamento de recurso contra condenação da Justiça Federal paulista e que o tempo da prisão preventiva seria excessivo.

A ministra Maria Thereza, que responde pelos processos do Tribunal durante o recesso Judiciário, avaliou que a extrapolação dos chamados prazos processuais não levam a um relaxamento automático da prisão.

“Na hipótese, não há falar em manifesto constrangimento ilegal decorrente de excesso de prazo na formação da culpa, haja vista inexistir desídia aparente do juízo de origem na condução do feito, estando o processo em sua regular tramitação.”

A presidente do STJ afirmou que o conteúdo do pedido da defesa de Sergey Vladimirovich Cherkasov ainda deverá ser analisado definitivamente pela Sexta Turma do Tribunal. A relatora do caso é a ministra Laurita Vaz.

Em março deste ano, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), validou declaração de entrega voluntária à Rússia apresentada por Cherkasov. À época, o ministro também decidiu manter a prisão preventiva de Cherkasov.

O governo russo havia protocolado pedido de extradição de Sergey Vladimirovich Cherkasov em agosto de 2022. Na solicitação encaminhada ao STF, Cherkasov é acusado de integrar organização criminosa que atuava com tráfico de drogas.

O suposto espião admitiu os crimes e manifestou interesse na extradição voluntária para a Rússia.

Fachin condicionou a volta à Rússia ao fim das apurações sobre os supostos crimes cometidos no Brasil.

“À luz desse panorama, a extradição será executada após concluídas as apurações e processos relativos aos fatos delituosos de competência da Justiça brasileira”, escreveu.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

embaixador-dos-eua-na-china-foi-hackeado-em-operacao-ligada-a-pequim,-diz-jornal

G1 Mundo

Embaixador dos EUA na China foi hackeado em operação ligada a Pequim, diz jornal

Nicholas Burns, embaixador dos Estados Unidos na China, teve a conta de e-mail acessada por hackers ligados a Pequim, revelou o jornal "The Wall Street Journal" nesta quinta-feira (20). O norte-americano seria um dos alvos de uma suposta campanha de espionagem detectada na quarta-feira (12) pela Microsoft. O ataque cibernético comprometeu centenas de milhares de e-mails do governo dos Estados Unidos, incluindo o de Daniel Kritenbrink, secretário adjunto de Estado […]

today20 de julho de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%