G1 Mundo

Suprema Corte dos EUA começa julgamento que pode mudar forma como redes sociais operam

today26 de fevereiro de 2024 5

Fundo
share close

Os juízes analisam duas leis dos estados do Texas e da Flórida, aprovadas em 2021, meses seguintes às decisões do Facebook e do Twitter de banir Donald Trump por causa de suas postagens relacionadas ao ataque de 6 de janeiro daquele ano ao Capitólio dos EUA.

Apesar de os detalhes variarem, ambas as legislações visam lidar com queixas de políticos conservadores de que as empresas de mídia social têm tendência liberal e censuram usuários com base em seus pontos de vista.

As leis estaduais aprovadas por Texas e Flórida impedem as redes sociais de moderar os conteúdos postados e derrubam o poder delas de remover publicações.



  • Em sua legislação, a Flórida proíbe as redes sociais de derrubarem perfis de candidatos em eleições;
  • Já o Texas proíbe a remoção de posts com conteúdo político.

Especialistas ouvidos pelo jornal The New York Times acreditam que, se as leis forem consideradas constitucionais pela Suprema Corte, as empresas serão forçadas a manter conteúdos que não desejam e a criar versões específicas de suas plataformas para esses estados (e para outros que venham a criar leis sobre redes sociais).

Vários acadêmicos e grupos de defesa da privacidade disseram ao tribunal que veem as duas leis em questão como inconstitucionais, mas admitem que juízes devem preservar a capacidade do governo estadual de regular as empresas de mídia social até certo ponto.

Processo é recurso de governador da Flórida

Associações que representam as empresas de mídia social entraram com ação na Justiça Federal, alegando que as leis violam os direitos de fala das plataformas.

Essa ação fez a lei da Flórida cair e, por isso, o governador recorreu à Suprema Corte, para que ela volte a valer. A do Texas segue em vigor.

Em um comunicado quando assinou o projeto de lei, o governador da Flórida, Ron DeSantis, que é a favor da lei que tira poder das redes sociais, considera que ela é uma proteção da sociedade contra os interesses das “elites do Vale do Silício”, como ele classificou.

DeSantis é filiado ao Partido Republicano, o mesmo de Donald Trump.

Os advogados de Trump também entraram com uma petição no caso da Flórida pedindo que o tribunal mantenha a lei estadual.

Para Ken Paxton, procurador-geral do Texas, “pessoas em todo o mundo usam as redes sociais para se comunicar com amigos, familiares, políticos e o público em geral. Como as empresas de telégrafo de outrora, os gigantes das mídias sociais de hoje usam seu controle sobre a mecânica dessa ‘praça pública moderna’ para direcionar e, muitas vezes sufocar, o discurso público”.

Nesta segunda, os juízes começam colhendo argumentos nos dois casos e a decisão pode sair em junho de 2024.

Mark Zuckerberg pede desculpas por danos causados em suas redes sociais

Mark Zuckerberg pede desculpas por danos causados em suas redes sociais

Mark Zuckerberg pede desculpas por danos causados em suas redes sociais

Como funciona o Gemini, a inteligência artificial mais poderosa do Google

Como funciona o Gemini, a inteligência artificial mais poderosa do Google

Como funciona o Gemini, a inteligência artificial mais poderosa do Google

Como denunciar postagens no Instagram, TikTok e Kwai e em outras redes sociais

Como denunciar postagens no Instagram, TikTok e Kwai e em outras redes sociais

Como denunciar postagens no Instagram, TikTok e Kwai e em outras redes sociais




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

hungria-aprova-entrada-da-suecia-na-otan;-pais-sera-32o-membro-da-organizacao

G1 Mundo

Hungria aprova entrada da Suécia na Otan; país será 32º membro da organização

O parlamento húngaro aprovou com 188 votos a favor e seis contra a entrada da Suécia —após adiar a decisão por mais de 18 meses. Para ingressar na Otan, era preciso a aprovação de todos os integrantes da organização. O primeiro-ministro sueco, Ulf Kristersson, classificou esta segunda como um dia histórico e escreveu nas redes sociais que: "estamos prontos para assumir a nossa parte de responsabilidade pela segurança da Otan”. […]

today26 de fevereiro de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%