G1 Mundo

Suspeitos de planejar ato terrorista em evento esportivo judaico na Argentina são soltos por falta de provas

today16 de janeiro de 2024 3

Fundo
share close

Em 30 de dezembro, o governo anunciou a prisão de três pessoas, uma de origem sírio-libanesa, recém-chegada ao país com passaportes da Venezuela e Colômbia, e dois argentinos suspeitos de planejar um ataque durante os Jogos Macabeus, que reuniram 4.000 atletas em Buenos Aires, segundo a imprensa local.

A juíza federal María Eugenia Capuchetti, de Buenos Aires, libertou os suspeitos e afirmou em sua decisão que “até o momento, não foram apresentados elementos de prova que permitam corroborar a hipótese investigada e que formaram a imputação mencionada”.

A juíza determinou que, enquanto a investigação estiver em andamento, os três devem comparecer ao seu tribunal uma vez por mês.



Os homens foram detidos pela Polícia Federal argentina em diferentes endereços. Os três eram supostos destinatários de um “pacote de 35 quilos” vindo do Iêmen, disse a ministra da Segurança, Patricia Bullrich, à imprensa.

No entanto, na Justiça não conseguiram comprovar a existência da suposta encomenda (o pacote) que chegaria ao país e que foi mencionada nas informações que deram início à investigação.

O sírio libertado é o professor de tênis de mesa Naem Chatay Chasan, e os argentinos são o cabeleireiro Ramón Domínguez e um autodenominado “agente inorgânico” de inteligência dos Estados Unidos, Juan Manuel Ledesma, conhecido como “El Rubio” (o loiro), que alertou sobre os outros dois investigados.

Bullrich havia baseado as prisões preventivas em informações recebidas dos serviços de inteligência dos EUA e de Israel, e de organismos de segurança da Colômbia, sobre três pessoas que ingressariam no país por diferentes aeroportos.

A informação foi amplamente divulgada no país. A Argentina tem a maior comunidade judaica da América Latina e lá houve dois graves atentados com bomba:

  • Atentado contra a embaixada de Israel, em 1992, que causou 29 mortes.
  • Atentado contra a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia), em 1994, que deixou 85 mortos.

O governo afirmou que um dos motivos que alertou as autoridades antes das prisões foi que os três suspeitos haviam reservado um quarto de hotel perto da embaixada de Israel.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

economia-da-china-cresceu-5,2%-em-2023,-antecipa-premie-chines

G1 Mundo

Economia da China cresceu 5,2% em 2023, antecipa premiê chinês

O premiê chinês, Li Qiang, afirmou nesta terça-feira (16) em um discurso em Davos que a economia da China cresceu cerca de 5,2% no ano passado, superando a meta oficial do país de 5% e a expansão de 3% em 2022, segundo o “Financial Times”. Durante sua fala no Fórum Econômico Mundial, Li afirmou que a taxa de crescimento em 2023 foi alcançada sem “estímulos maciços” e que a economia […]

today16 de janeiro de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%