G1 Mundo

Terremoto no Marrocos: ‘Tive que escolher entre meus pais e meu filho’

today11 de setembro de 2023 7

Fundo
share close

O pastor de cabras de uma pequena comunidade situada nas Cordilheiras do Atlas diz que está assombrado pela decisão que teve de tom

A região montanhosa, epicentro do terremoto de magnitude 6,8 que matou mais de 2 mil pessoas, tem representado uma grande dificuldade para equipes de resgate.

Na noite de sexta-feira (8), Tayeb estava em casa com sua esposa, seus dois filhos e seus pais na sua pequena casa de pedra. Foi então que o país testemunhou o terremoto mais forte em seis décadas.



Ele me conduziu até o que resta de sua antiga morada, agora reduzida a ruínas. Ainda dá para ver parcialmente o interior do prédio e ele aponta para os escombros, contando: “É onde eles estavam”.

“O incidente ocorreu em um piscar de olhos. Quando o terremoto começou, todos correram em direção à porta. Meu pai estava dormindo e gritei para que minha mãe saísse, mas ela ficou para trás, esperando por ele”, recorda com pesar.

Do outro lado da porta, apenas sua esposa e filha estavam presentes.

Ao retornar para a construção colapsada, Tayeb identificou seu filho e pais presos sob os destroços. Ele podia ver a mãozinha de seu filho lutando para se libertar.

Ele sabia que precisava agir rapidamente e foi na direção de seu filho Adam, escavando desesperadamente nos escombros para retirá-lo.

Quando se virou para seus pais, que estavam aprisionados sob uma grande laje de pedra, percebeu que era tarde demais.

Fui forçado a fazer uma escolha impossível entre meus pais e meu filho“, ele confessa com os olhos marejados de lágrimas.

“Eu não pude ajudar meus pais, pois o muro desabou sobre metade de seus corpos. É uma tristeza profunda. Testemunhei a morte de meus pais“, ele diz, apontando para as manchas de sangue em suas calças jeans.

Todas as suas roupas estão na casa destruída e, desde o terremoto, ele não conseguiu trocar de roupa.

A família agora reside junto de parentes em tendas improvisadas, em local não muito distante de sua antiga residência. Tayeb lamenta que todo o seu dinheiro estivesse na casa, e que a maioria de suas cabras tenha sido perdida.

“É como renascer para uma nova vida. Sem pais, sem casa, sem comida, sem roupas”, ele compartilha com um suspiro. “Agora, aos 50 anos, preciso começar de novo.”

Ele se sente incapaz de imaginar como seguir adiante, mas mantém em mente as lições que seus pais lhe ensinaram. “Eles sempre diziam ‘seja paciente, trabalhe duro, nunca desista’.”

Enquanto conversamos, seu filho Adam, com uma camiseta do time Juventus com o nome de Cristiano Ronaldo nas costas, corre até seu pai e o abraça calorosamente. “Meu pai me resgatou da morte”, ele afirma com um sorriso.

Família presa nos escombros

A alguns minutos dali, na direção da cidade de Amizmiz, encontramos outro pai e filho, unidos pelo trauma.

Abdulmajid ait Jaefer relata que estava em casa com sua esposa e três filhos quando o terremoto aconteceu, e “o chão simplesmente cedeu“.

Seu filho, Mohamed, com seus 12 anos, conseguiu escapar do prédio, mas o resto da família ficou preso nos escombros.

Abdulmajid teve as pernas presas sob os destroços, mas um vizinho conseguiu libertá-lo. Ele então passou duas angustiantes horas tentando resgatar sua esposa e uma de suas filhas. No entanto, ambas já haviam perdido a vida quando ele finalmente as retirou dos escombros.

No dia seguinte, o corpo da outra filha também foi resgatado dos destroços.

Aos 47 anos, Abdulmajid agora descansa sob uma lona do outro lado da rua de sua casa. Ele pode vislumbrar a cozinha, com a geladeira imóvel e as roupas penduradas para secar, um lembrete doloroso de como a vida mudou drasticamente.

Os restos da casa da família de Abdulmajid após ser afetada pelo terremoto. — Foto: BBC

Ele diz que não pode sair da área porque precisa “ficar de guarda” sobre seus bens e as lembranças de sua vida ali.

“Essa é minha cozinha e minha geladeira. Estávamos todos lá. Agora estou apenas observando”, diz ele.

Antes de sexta-feira (8), Abdulmajid diz que “nunca poderia imaginar um terremoto. Mesmo agora, não consigo acreditar”.

Enquanto conversamos, os carros param ao nosso lado e as pessoas se inclinam para oferecer condolências. Outros que caminham pela rua param para abraçar o homem de luto, como pai e como marido.

“Havia cinco pessoas na minha família. Agora são duas”, ele me diz com tristeza. “Por enquanto, só estou pensando em uma coisa: meu filho.”

Número de mortos após terremoto no Marrocos sobe para quase 2,5 mil

Número de mortos após terremoto no Marrocos sobe para quase 2,5 mil




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

numero-de-mortos-no-terremoto-no-marrocos-sobe-para-2.862

G1 Mundo

Número de mortos no terremoto no Marrocos sobe para 2.862

O tremor, um dos mais destrutivos no mundo nos últimos anos, atingiu os arredores de Marraquexe na noite de sexta-feira (8) com uma magnitude de 6,8, segundo os serviços geológicos norte-americanos, e de 7, segundo o centro marroquino de pesquisa científica e técnica. O tremor foi o mais poderoso desde que começaram os registros modernos no país e atingiu uma região muito habitada. Outras cerca de 2.562 pessoas ficaram feridas, […]

today11 de setembro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%