G1 Mundo

‘Tirem as mãos da África’, diz papa Francisco ao mundo rico

today1 de fevereiro de 2023 11

Fundo
share close

Francisco, de 86 anos, é o primeiro pontífice a visitar o Congo desde João Paulo 2º em 1985, quando o país ainda era conhecido como Zaire. Cerca de metade dos 90 milhões de habitantes do Congo são católicos.

Papa Francisco acena pra dançarinos na chegada a Kinshasa, na República Democrática do Congo, em 31 de janeiro de 2023. — Foto: Vaticano via Reuters



Dezenas de milhares de pessoas aplaudiram enquanto o pontífice viajava do aeroporto para a capital Kinshasa em seu papamóvel, alguns se desgarrando da multidão para acompanhar seu comboio enquanto outros cantavam e agitavam bandeiras em uma das mais vibrantes boas-vindas de suas viagens ao exterior.

Mas o clima mudou quando o papa fez um discurso para dignitários no palácio presidencial, condenando “terríveis formas de exploração, indignas da humanidade” no Congo, onde vastas riquezas minerais alimentaram a guerra, o deslocamento e a fome.

Multidão aguarda o papa na República Democrática do Congo, em 31 de janeiro de 2023 — Foto: Yara Nardi/Reuters

“É uma tragédia que essas terras, e mais geralmente todo o continente africano, continuem sofrendo várias formas de exploração”, disse ele. “O veneno da ganância manchou seus diamantes com sangue”, disse ele, referindo-se especificamente ao Congo.

“Tirem as mãos da República Democrática do Congo! Tirem as mãos da África! Parem de sufocar a África: não é uma mina a ser despojada ou um terreno a ser saqueado”, disse ele.

O Congo tem algumas das reservas mais ricas do mundo em diamantes, ouro, cobre, cobalto, estanho, tântalo e lítio, minerais que alimentam conflitos entre milícias, tropas do governo e invasores estrangeiros. A mineração também tem sido associada à exploração desumana de trabalhadores, incluindo crianças, e à degradação ambiental.

Consequências do genocídio em Ruanda

Para agravar esses problemas, o leste do Congo tem sido atormentado pela violência ligada às longas e complexas consequências do genocídio de 1994 na vizinha Ruanda.

O Congo acusa Ruanda de apoiar o grupo rebelde M23, que luta contra as tropas do governo no leste. Ruanda nega.

“Além de milícias armadas, potências estrangeiras famintas pelos minerais de nosso solo cometem, com o apoio direto e covarde de nosso vizinho Ruanda, atrocidades cruéis”, disse o presidente congolês Felix Tshisekedi, falando pouco antes do papa e dividindo o palco com ele.

Na quarta-feira, Francisco celebrará uma missa no aeroporto de Kinshasa e se encontrará com as vítimas da violência do leste, destacando ainda mais as questões que levantou em seu discurso.

“Eu queria ir para Goma, mas não podemos por causa da guerra”, disse o papa a repórteres durante seu voo, referindo-se a uma cidade no leste do Congo que ele originalmente planejava visitar antes que a parada fosse cancelada por causa dos combates na região.

O papa Francisco ficará em Kinshasa até a manhã de sexta-feira. De lá, ele voará para o Sudão do Sul, outro país que enfrenta conflitos e pobreza.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

casal-iraniano-e-condenado-a-10-anos-de-prisao-apos-postar-video-dancando-em-publico;-video

G1 Mundo

Casal iraniano é condenado a 10 anos de prisão após postar vídeo dançando em público; VÍDEO

Registro, gravado em Teerã, foi interpretado como provocação ao governo do Irã, afirmam ativistas. Casal iraniano é preso por postar vídeo dançando Nesta terça-feira (31), um casal foi condenado a 10 anos de prisão pela Justiça do Irã após compartilhar um vídeo dançando em público. Segundo ativistas do país, o registro foi interpretado como uma provocação ao governo iraniano. Astiyazh Haghighi e seu namorado, Amir Mohammad Ahmadi, ambos com aproximadamente […]

today1 de fevereiro de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%