G1 Mundo

Trabalhadores fazem greve simultânea em três das maiores montadoras de veículos dos EUA

today15 de setembro de 2023 9

Fundo
share close

Essa é a primeira vez nos 88 anos de história do United Workers Auto (UWA, sindicato dos trabalhadores de montadoaras) em que ocorre uma paralisação simultânea.

Ao todo, a greve envolve cerca de 12,7 mil trabalhadores, de um total de cerca de 146.000 trabalhadores fabris em todo o país, segundo o jornal The Wall Street Journal.

O sindicato que representa a categoria afirmou que a paralisação deve interromper a produção de 24 mil veículos por semana. Mas, as companhias também possuem veículos prontos em estoque, o que poderia manter as vendas ativas, mesmo com a redução na receita.



Em contrapartida, se o movimento se tornar uma greve geral nas montadoras americanas, isso poderia causar uma perda de até US$ 500 milhões (R$ 2,4 bilhões) nos lucros de cada empresa por semana, segundo levantamento do Deutsche Bank.

O presidente do sindicato, Shawn Fain, disse em uma live no Facebook aos sindicalistas que, caso as negociações com as montadoras não avancem, outras fábricas também devem enfrentar paralisações.

A greve foi resultado de uma demanda sindical por uma parcela maior no pagamento de lucros gerados pela venda de caminhões, além de maior segurança nos empregos. A mídia americana informa que os trabalhadores e as empresas discutiram sobre as condições desejadas até tarde da noite, mas não chegaram a um acordo.

De acordo com a Reuters, o sindicato pediu um aumento de 40%, enquanto as montadoras ofereceram um reajuste de até 20%. No entanto, a contraproposta das empresas não incluía os principais benefícios exigidos pela categoria.

A Ford disse que as propostas do sindicato duplicariam os custos trabalhistas nos Estados Unidos. Já a Stellantis, que controla a Chrysler, afirmou que vai tomar decisões estruturais para proteger a empresa.

A GM afirmou que estava desapontada com a paralisação, mas que deseja continuar as negociações.

Atualmente, a indústria de carros dos Estados Unidos faz uma transição para focar na produção de veículos elétricos. No entanto, existe o receio por parte da categoria de que isso provoque demissões na produção de itens automobilísticos voltados para carros à combustão.

Com o governo dos EUA investindo bilhões em incentivos para a produção de carros elétricos, o impasse também se tornou uma questão política. O sindicato, por exemplo, não apoia a reeleição de Joe Biden.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Notícias

Enchentes na Líbia podem ter deixado mais de 20 mil mortos: ‘O mar continua trazendo corpos’

O prefeito de Derna disse à emissora de TV saudita Al Arabiya que estimou que entre 18 mil e 20 mil morreram quando as duas barragens romperam, liberando um tsunami de água enquanto as pessoas dormiam. A população da cidade era de cerca de 100 mil habitantes. Ele afirmou ao canal que o cálculo do número de vítimas é baseado no número de comunidades destruídas pelas enchentes. Equipes de resgate começaram a chegar a Derna, mas não há dúvidas de […]

today15 de setembro de 2023 14

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%