G1 Santos

Veja quem era Danone, traficante morto durante operação policial no litoral de SP

today19 de fevereiro de 2024 6

Fundo
share close

O g1 levantou informações com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, (SSP-SP), Polícia Militar e conversou com irmã de Danone para apresentar quem era o homem que teria sido excluído do crime para virar pescador, qual a relação dele com a facção e até a origem do apelido.

De acordo com informações obtidas pelo g1, os suspeitos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros, mas a corporação não informou para qual unidade de saúde foram levados. O caso foi encaminhado à Delegacia de Polícia (DP) Sede de Guarujá e as três mortes foram confirmadas pela Polícia Civil.

Segundo a polícia, Rodrigo Pires dos Santos, o Danone, de 40 anos, era apontado como um dos chefes da principal facção criminosa no país. Ele já havia sido preso ao menos duas vezes por envolvimento em assaltos, tráfico de drogas e porte de arma.



De acordo com a família, Danone era casado, pai de duas meninas, de 9 e 10 anos, e trabalhava como pescador. A irmã dele e empresária Flaviana Pires confirmou que ele já foi ligado à facção criminosa, que ficou preso, mas que pagou pelos crimes cometidos e foi excluído do grupo criminoso.

Rodrigo Pires dos Santos, também é conhecido como ‘Danone’ — Foto: Divulgação/PM

Flaviana contou que o irmão recebeu o apelido de ‘Danone’ ainda criança. “Ele sempre foi muito lindo e, onde a gente morava, todas as meninas eram apaixonadas por ele e tinha essa brincadeira dele ser gostoso como danone”.

Ela contou, ainda, que ele passou a ser chamado de ‘garotinho’ após o período em que ficou preso.

Na época, a Polícia Civil afirmou que ele já era investigado pelo assalto a uma marina em Guarujá, tráfico de drogas e porte de arma. No momento da prisão, ele dirigia um automóvel com placa clonada e, por isso, também respondeu por receptação dolosa de veículo.

Danone é apontado como líder de grupo que atirou contra barco da Receita Federal, em 2015 — Foto: g1 e Reprodução/TV Tribuna

Em 2018, Danone foi preso pela 2ª vez por porte ilegal de arma junto com outro homem procurado pela Justiça. Na ocasião, PMs avistaram um veículo suspeito entre as ruas João Otávio e João Pessoa, no Centro de Santos. Ao ser abordado, ele confessou que estava com uma pistola municiada.

O traficante era considerado suspeito de comandar uma quadrilha que realizava assaltos nas cidades da Baixada Santista. Não há informações sobre o motivo dele estar nas ruas, em liberdade, entre os crimes de 2015 e 2018, bem como agora.

O secretário de segurança pública de São Paulo, Guilherme Derrite, publicou um vídeo de Danone. No texto, ele afirmou que é o criminoso quem aparece nas imagens com um fuzil em mãos. Não há informação da data do vídeo. (veja o vídeo abaixo).

Flaviana confirmou ao g1 que é o irmão dela nas imagens, mas que é algo antigo. “Dá até para ver que o cabelo estava diferente. Não sei de quando é, mas é bastante antigo. Nesse vídeo ele está com o cabelo curto e no Instituto Médico Legal (IML) com o cabelo até o ombro”.

Flaviana disse que o irmão estava dormindo no sofá do apartamento quando houve a abordagem dos policiais, e que eles não estavam armados na janela. “[Foi uma] covardia terem matado ele simplesmente pelo fato das coisas que ele já fez e pagou. Não vou falar que ele foi santo, mas pagou pelas coisas que fez”.

Segundo a empresária, Danone levava uma vida normal e simples como pescador. A casa em que ele morava é alugada e ele não possuía bens. “Se ele é o pica das galáxias, bandido do PCC, acha que ele não teria dinheiro para, pelo menos, fazer o enterro dele?”.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) informou que Danone era foragido da Justiça desde dezembro do ano passado, quando teve mandado de prisão preventiva expedido por posse ilegal de arma e tráfico de drogas.

Segundo a pasta, desde 2003, ele foi alvo de 15 inquéritos, entre eles roubo, furto e tráfico de drogas. Após apuração, não foi encontrada pela Corregedoria nenhuma evidência de perseguição por parte dos policiais ao indivíduo.

Segundo a pasta, até o último sábado (17), 645 criminosos foram presos, incluindo 242 procurados pela Justiça. Além disso, foram apreendidos mais de 156 kg de drogas e 77 armas ilegais, incluindo fuzis de uso restrito.

Em nota, a SSP-SP afirmou que todos os casos são rigorosamente investigados pela 3ª Delegacia de Homicídios da Deic de Santos, com o acompanhamento do Ministério Público e do Poder Judiciário.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

motociclista-viu-amigo-morrer-e-diz-que-major-da-pm-percebeu-erro-apos-disparo:-‘perdi-um-irmao’

G1 Santos

Motociclista viu amigo morrer e diz que major da PM percebeu erro após disparo: ‘Perdi um irmão’

Paulo e Luan estavam em uma motocicleta, descendo de São Paulo para a Baixada Santista, na última sexta-feira (16). João Paulo, policial civil e amigo da dupla, seguia viagem em outra motocicleta, uma BMW. O plano deles era passear e comer camarão em Santos, no litoral paulista. Os PMs Rodoviários envolvidos na ação, conforme boletim de ocorrência, informaram ter observado como suspeita a atitude da dupla, como se quisesse assaltar […]

today19 de fevereiro de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%