G1 Mundo

Velório de Tyre Nichols nos EUA é marcado por emoção e raiva contra a violência policial

today1 de fevereiro de 2023 10

Fundo
share close

Kamala Harris, a vice-presidente dos EUA, esteve presente. Ela abraçou a mãe de Nichols por um longo tempo e criticou os policiais negros que espancaram Tyre mesmo quando ele pedia para ser socorrido aos berros.

“Ele não tinha o direito de estar seguro? Aqui está uma família que perdeu seu filho e seu irmão em um ato violento” perpetrado por pessoas encarregadas de protegê-los, e esse ato violento não visava garantir a segurança pública, disse Kamala à multidão.

Nichols era “uma boa pessoa, uma bela alma, um filho, um pai, um irmão, um amigo, um ser humano que partiu cedo demais”, afirmou o reverendo J. Lawrence Turner em seu discurso de abertura na Igreja Cristã Mississippi Boulevard. Ele também falou sobre a violência policial que afeta particularmente a população negra nos EUA.



Imprensa americana tem acesso a relatório inicial de policiais que espancaram Tyre Nichols

Imprensa americana tem acesso a relatório inicial de policiais que espancaram Tyre Nichols

Parentes de outras vítimas

Um dos presentes era o irmão de George Floyd, outro homem negro que morreu por causa da ação de policiais —em 2020, um policial branco pressionou o pescoço de Floyd com o joelho até que ele morresse asfixiado; após a morte, os EUA foram tomados por manifestações contra o racismo.

Também compareceu a mãe de Breonna Taylor, mulher negra de 26 anos, morta a tiros pela polícia em seu apartamento no Kentucky em 2020, que virou um ícone do movimento “Black Lives Matter” (Vidas Negras Importam).

O reverendo Al Sharpton, uma figura da luta americana pelos direitos civis, fez a oração fúnebre.

Nichols, de 29 anos, foi detido em Memphis no dia 7 de janeiro por membros de uma unidade especial da polícia, que o acusou por uma infração de trânsito. Três dias depois, ele morreu devido aos ferimentos causados pelos policiais.

Todo o procedimento policial foi gravado pelas câmeras acopladas aos uniformes do agentes e pelas câmeras de segurança pública da cidade.

Os vídeos deixam evidentes a violência brutal com socos, chutes, golpes de cassetetes, gás de pimenta e uma arma de choque. Em nenhum momento Nichols parece tentar agredir os policiais. Ele tenta fugir e é pego.

Os cinco policiais envolvidos – todos negros – foram demitidos e enfrentam acusações por homicídio doloso. Dois outros agentes foram suspensos, assim como três bombeiros.

Após o ocorrido, a polícia de Memphis desmantelou a unidade de polícia responsável pela morte, que havia sido criada em novembro de 2021 com a intenção de reduzir a atividade ilegal em pontos críticos da cidade.

Após a morte de Nichols, foram registrados protestos exigindo mudanças drásticas nas forças policiais nos Estados Unidos. As autoridades temem que as manifestações adquiram caráter violento, como após a morte de George Floyd, embora tenham sido pacíficas até o momento.

A presença da vice-presidente Harris enfatiza o impacto político deste novo caso de brutalidade policial. O próprio presidente americano, Joe Biden, se declarou “indignado e profundamente triste” pelas imagens da abordagem dos agentes e falou com a família de Nichols para saudar sua “valentia e força”.

Biden planeja se reunir com os membros da Coalização Negra do Congresso americano na Casa Branca para debater uma legislação que permita uma reforma policial, segundo um porta-voz da Casa Branca.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

‘america-latina-deveria-ser-regiao-com-menos-fome-no-mundo’,-diz-pesquisador

G1 Mundo

‘América Latina deveria ser região com menos fome no mundo’, diz pesquisador

Não se trata apenas de quem proporcionou o alimento, mas de uma série de fatores que vão desde a produção até sua chegada ao mercado. E, em cada uma dessas etapas, pode haver interesses em jogo entre países ou corporações, segundo Juan José Borrell, autor do livro Geopolítica y Alimentos: el Desafío de la Seguridad Alimentaria Frente a la Competencia Internacional por los Recursos Naturales (“Geopolítica e alimentos: o desafio […]

today1 de fevereiro de 2023 19

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%