G1 Mundo

Vídeo: torcedores da Argentina sobem (e caem) de postes, pontes, árvores e outros locais altos durante comemoração da Copa

today20 de dezembro de 2022 135

Fundo
share close

A seleção chegou na madrugada ao aeroporto de Ezeiza, perto de Buenos Aires, e depois seguiu em desfile, em ônibus aberto, pelas ruas da capital. O governo decretou feriado nesta terça. Por volta de 16h, a polícia decidiu retirar os jogadores por helicóptero, porque havia dificuldade em seguir o trajeto no ônibus.

Desde o domingo (18), quando a Argentina venceu a França na final da Copa do Catar, quase 350 pessoas ficaram feridas na cidade ao comemorar a conquista do tricampeonato mundial. Somente naquele dia, mais de 340 pessoas se machucaram, afirmou o chefe do serviço de emergência local, Alberto Crescenti.

Veja, no vídeo abaixo, argentinos caindo de viaduto ao tentar chegar ao ônibus da seleção:



Torcedores caem de viaduto sobre ônibus da seleção da Argentina em Buenos Aires

Torcedores caem de viaduto sobre ônibus da seleção da Argentina em Buenos Aires

Os jogadores deixaram o ônibus em que desfilaram em carreata para sobrevoar a cidade de helicóptero, já que a grande aglomeração de pessoas impediu que a comemoração dos jogadores continuasse por terra.

“Os campeões do mundo estão sobrevoando todo o percurso em helicópteros porque ficou impossível continuar por terra diante da explosão de alegria popular. Continuemos celebrando em paz e mostrando nosso amor e admiração”, escreveu no Twitter Gabriela Cerruti, porta-voz da Presidência da Argentina.

Carreata ia para o obelisco

Multidão se reúne no dia 20 de dezembro de 2022 na região do Obelisco, em Buenos Aires, na Argentina, à espera dos campeões mundiais — Foto: g1

A carreata partiu pouco antes do meio-dia da sede da Associação de Futebol Argentino (AFA), em Ezeiza, e tinha como destino o Obelisco, na Avenida 9 de Julio, ponto de encontro dos torcedores no centro da capital.

Mas depois de quase cinco horas de uma viagem muito lenta, os jogadores e a taça tiveram que subir em helicópteros para sobrevoar a cidade.

“Não nos deixam chegar para saudar todas as pessoas que estavam no Obelisco, os mesmos órgãos de segurança que nos escoltavam não nos permitiram continuar. Mil desculpas em nome de todos os jogadores campeões. Uma pena”, escreveu no Twitter Claudio Tapia, presidente da AFA, que acompanhou a carreata com o elenco da seleção.

Embora as pessoas tivessem mostrado decepção pelo fato de os jogadores não terem entrado no centro de Buenos Aires, elas continuaram comemorando a vitória nas ruas.

“Gostaria que tivesse terminado de outra forma. O que poderia acontecer foi subestimado. Só uma pessoa que não sabe o que é o futebol para o povo argentino poderia pensar que isso não era possível. Se tivesse sido organizado, poderia ter sido feito de outra forma”, disse Román García, funcionário público de 38 anos.

Vitória em momento complicado

Para muitos, o tricampeonato mundial da ‘Albiceleste’ foi uma grande alegria em meio a ao complicado momento do país.

“Estou muito feliz que o time tenha vencido. É muito importante para o nosso país. Tirando os momentos ruins, é um ano que vamos começar com a vitória da Argentina e isso nos faz sentir bem”, disse Marta Acosta, de 35 anos.

“Vivemos uma crise econômica há vários anos, isso é um fôlego e um ânimo também. Ver a Argentina vencer uma Copa do Mundo sendo tão jovem é uma bênção”, disse à AFP Lautaro Rodríguez, 21 anos.

Torcedores se aglomeram em cima de uma marquise para ver o ônibus com a seleção campeã da Copa do Mundo de 2022, em Buenos Aires, na Argentina, em 20 de dezembro de 2022. — Foto: Cristina Sille/ Reuters

Mais de 5 milhões de pessoas se reuniram ao longo do trajeto da carreata, inicialmente programada para percorrer 70 quilômetros, segundo uma fonte da Prefeitura de Buenos Aires.

É a maior manifestação já vista na capital argentina, segundo a imprensa local.

Muitas pessoas de outras cidades, como Bariloche (na Patagônia, ao sul), ou de Rosário, terra de Messi e Ángel Di María, e dos municípios da periferia de Buenos Aires foram à capital para participar das comemorações.

O governo argentino decretou feriado nacional para facilitar a participação do povo na festa.

“Vou ao Obelisco porque a Argentina ganhou. Faziam 36 anos que não ganhava. Eu tinha seis anos quando ganhou em 1986. Não posso explicar com palavras, só com emoção”, disse Paola Zattera, uma funcionária pública de 43 anos.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

covid-19:-china-tem-filas-em-crematorios-apos-suspender-restricoes

G1 Mundo

Covid-19: China tem filas em crematórios após suspender restrições

O jornalista Dake Kang, que mora em Pequim e trabalha para a agência Associated Press (AP), visitou a funerária Dongjiao, na capital, que foi designada para receber vítimas fatais da covid-19. "Uma ou duas dúzias de pessoas estavam do lado de fora esperando enquanto pessoas carregavam caixões e chamavam os nomes dos mortos", disse Kang à BBC. Autoridades de saúde na china alertam população que novas mutações da Covid podem […]

today20 de dezembro de 2022 20

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%