G1 Mundo

Vídeos mostram policiais dos EUA chutando e agredindo o motorista negro Tyre Nichols, que não reage

today28 de janeiro de 2023 23

Fundo
share close

As imagens divulgadas na sexta-feira (27) mostram que em nenhum momento Tyre Nichols é agressivo com os policiais, que começam a abordagem com violência desde o começo. Algumas frases de Nichols são muito marcantes:

  • “Não estou fazendo nada”
  • “OK, estou no chão”
  • “Estou apenas tentando ir para casa”
  • “Mãe! Mãe!”

Tyre Nichols morreu 3 dias depois em um hospital. A morte de Nichols é o mais recente exemplo de policiais acusados de força excessiva que culminou na morte de pessoas negras e outras minorias nos últimos anos nos EUA.

Os vídeos são cheios de momentos violentos que mostram os policiais perseguindo Nichols e deixando-o na calçada apoiados contra uma viatura enquanto celebram seus feitos.



Depois que o primeiro oficial puxa Nichols para fora de um carro, Nichols pode ser ouvido dizendo: “Eu não fiz nada”, enquanto um grupo de policiais começa a lutar com ele no chão.

Um oficial é ouvido gritando: “Dá um choque nele!”, se referindo ao uso de arma de choque.

Nichols calmamente diz: “OK, estou no chão”.

“Vocês estão realmente fazendo muito agora”, diz Nichols. “Estou apenas tentando ir para casa.”

“Pare, eu não estou fazendo nada!” ele grita momentos depois.

Nichols pode então ser visto correndo enquanto um oficial dispara uma arma de choque contra ele. Os oficiais então começam a perseguir Nichols.

Outros policiais são chamados e uma busca se segue antes que Nichols seja pego em outro cruzamento. Os policiais o espancaram com um cassetete, o chutaram e o socaram.

Imagens de câmeras de segurança mostram três policiais cercando Nichols enquanto ele está deitado na rua encurralado entre carros de polícia, com um quarto policial nas proximidades.

Dois oficiais seguram Nichols no chão, então o terceiro parece chutá-lo na cabeça. Nichols fica caído na calçada com os três policiais ao seu redor. O mesmo oficial o chuta novamente.

O quarto oficial então caminha, puxa um bastão e o segura na altura dos ombros enquanto dois oficiais seguram Nichols na vertical, como se ele estivesse sentado.

“Eu vou bater em você”, um oficial pode ser ouvido dizendo. Sua câmera corporal mostra ele levantando o bastão enquanto outro oficial segura Nichols. O oficial ataca Nichols nas costas com o bastão três vezes seguidas.

Os outros oficiais então parecem tentar levantar Nichols, mas ele mal consegue ficar de pé.

Pela câmera corporal de um dos policiais é possível ver que eles usam spray de pimenta, ao que Nichols reage gritando muito e chamando pela mãe.

Um oficial então lhe dá um soco no rosto, enquanto o oficial com o bastão continua a ameaçá-lo.

Nichols tropeça e se vira, ainda segurado por dois oficiais. O policial que o socou então caminha até a frente de Nichols e o soca mais quatro vezes. Então Nichols entra em colapso.

Dois oficiais podem então ser vistos por cima de Nichols no chão, com um terceiro nas proximidades, por cerca de 40 segundos. Mais três oficiais então correm para cima, e um pode ser visto chutando Nichols no chão.

Nichols fica caído contra um carro e nenhum dos policiais presta socorro.

Leva mais de 20 minutos para que qualquer tipo de atendimento médico seja fornecido, mesmo que dois oficiais do corpo de bombeiros tenham chegado ao local em 10 minutos, com equipamento médico.

Imagem de policiais com Tyre Nichols, encostado na roda do carro — Foto: Reprodução/Polícia de Memphis

Cartaz diz: “Pare a guerra na América Negra”, durante protesto em Nova York após divulgação de um vídeo que mostra a polícia de Memphis espancando Tyre Nichols — Foto: Andrew Kelly/Reuters

Após a divulgação do vídeo, manifestantes se reuniram em diversas cidades dos Estados Unidos para protestar contra a violência policial.

Centenas de manifestantes se reuniram em Memphis com gritos de “sem justiça, sem paz” e chegaram a bloquear uma importante rodovia da região. Protestos também foram registrados em Nova York, Los Angeles, Atlanta e Washington D.C..

Um porta-voz do Departamento de Polícia de Nova York disse à agência de notícias Reuters que três pessoas foram presas por danificar um veículo da polícia durante manifestações na Times Square.

Manifestante chuta o para-brisa de uma viatura durante protesto por Tyre Nichols em Nova York, após a divulgação dos vídeos da violência policial que resultou em sua morte — Foto: Eduardo Muñoz/Reuters

A chefe de polícia de Memphis, Cerelyn Davis, disse que os vídeos mostraram comportamentos de policias que “desafiam a humanidade”.

O advogado de direitos civis, Ben Crump, representando a família de Nichols, cobrou que o departamento de polícia desmembrasse a unidade SCORPIONS, uma equipe que supostamente se concentra em crimes violentos nas ruas. Alguns dos policiais envolvidos faziam parte dessa unidade.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que estava “revoltado” e “profundamente triste” após ver um dos vídeos. Biden falou com a RowVaughn Wells e padrasto Rodney Wells, mãe e padrasto de Nichols, na sexta-feira (27), para expressar condolências, disse a Casa Branca.

“Nenhuma mãe deveria perder seu filho da maneira violenta como a que eu perdi meu filho”, disse a mãe de Nichols, RowVaughn Wells.

O procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, anunciou uma investigação federal de direitos civis sobre a morte de Nichols.

Os cinco policiais, todos negros, foram acusados de assassinato em segundo grau, agressão, sequestro, má conduta e opressão pelo episódio que terminou com a morte de Nichols.

Os registros mostram que quatro deles, Justin Smith, Desmond Mills Jr., Emmitt Martin III, Demetrius Haley e Tadarrius Bean, foram soltos sob fiança após serem autuados pela prisão no Condado de Shelby na manhã de quinta-feira (26).

Da esquerda para a direita: Demetrius Haley, Desmond Mills, Jr, Emmitt Martin III, Justin Smith e Tadarrius Bean — Foto: Memphis Police

Veja abaixo uma cronologia do caso de Tyre Nichols:

  • 7 de janeiro: Os policiais param Nichols sob suspeita de direção imprudente por volta das 20h30. Em um comunicado, a polícia disse que houve uma discussão, Nichols fugiu a pé, foi perseguido por policiais e outra discussão ocorreu. Posteriormente, Nichols “queixou-se de falta de ar”, disse o comunicado. Uma ambulância foi chamada, e Nichols foi levado para o hospital.
  • 8 de janeiro: O promotor distrital do condado de Shelby, Steve Mulroy, pede para que a agência de investigação do estado conduza uma investigação sobre uso da força na prisão.
  • 10 de janeiro: Nichols morre.
  • 14 de janeiro: A família de Nichols realiza um evento memorial no qual exibe uma fotografia de Nichols que o mostra entubado e com o rosto espancado. Há um protesto em frente a uma delegacia de polícia.
  • 16 de janeiro: A família contrata o advogado de direitos civis Ben Crump, conhecido por representar famílias em alguns dos casos mais difíceis dos EUA. Crump pede a divulgação do vídeo do encontro de Nichols capturado pelas câmeras de vídeo dos uniformes dos policiais e pelas câmeras do painel do veículo.
  • 20 de janeiro: O Departamento de Polícia de Memphis demite os cinco policiais envolvidos.
  • 23 de janeiro: Crump e a família de Nichols assistem ao vídeo da polícia. Crump diz mais tarde que o lembrou do vídeo da surra de Rodney King, um caso histórico do começo dos anos 1990.
  • 24 de janeiro: A cidade de Memphis anunciou que dois bombeiros envolvidos no incidente foram dispensados ​​de suas funções enquanto se aguarda uma investigação interna.
  • 25 de janeiro: O chefe da polícia de Memphis, Cerelyn Davis, divulga uma declaração em vídeo chamando o tratamento de Nichols de “falta de humanidade básica”.
  • 26 de janeiro: Os cinco policiais são acusados ​​de assassinato em segundo grau.
  • 27 de janeiro: O vídeo do incidente feito pela polícia é divulgado ao público.

Veja no JH: EUA registram protestos após vídeo de Tyre Nichols sendo agredido

Veja no JH: EUA registram protestos após vídeo de Tyre Nichols sendo agredido




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

caso-tyre-nichols:-relembre-outras-vitimas-de-violencia-policial-contra-negros-nos-eua

G1 Mundo

Caso Tyre Nichols: relembre outras vítimas de violência policial contra negros nos EUA

Estados Unidos registra onda de protestos após a morte de Nichols. Nos últimos anos, diversos casos semelhantes de violência policial foram registrados no país, como a morte de George Floyd. Vídeo mostra o jovem negro Tyre Nichols sendo espancado por policiais nos EUA dias antes de morrer A morte de Tyre Nichols após ser agredido por policiais em Memphis, nos Estados Unidos, não é somente um caso isolado de violência […]

today28 de janeiro de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%